Em discurso, Lula volta a criticar governos anteriores

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursou para cerca de 13 mil pessoas no canteiro de obras da Cia. Siderúrgica do Atlântica (CSA), do grupo Thyssenkrupp, enfatizando as oportunidades que estão sendo geradas no seu governo, tanto de emprego quanto de educação. O presidente voltou a criticar os governos anteriores. De acordo com Lula, se o Estado e as empresas não oferecem oportunidades para as pessoas, "o crime oferece". "Se porrada educasse as pessoas, bandido saia da cadeia santo. O que educa as pessoas são oportunidades", disse Lula.O presidente observou que a CSA representa oportunidade de emprego, assim como o complexo do pólo petroquímico (Comperj) cujas obras de terraplenagem ele pretende inaugurar no dia 31 de março, também no Rio. Ele contou que na semana que vem vai visitar as favelas da Rocinha, Manguinhos e complexo do Alemão, anunciando obras do PAC para os moradores dessas comunidades. Na Educação, de acordo com o presidente, em 2010 o seu governo terá construído 10 novas universidades federais e 214 escolas técnicas profissionais e criado 48 extensões universitárias. Ele provocou presidentes anteriores dizendo que "parece que as pessoas que governavam antes pensavam que já tinham educação, então para quê dar oportunidades?", ironizou. "Eu que não tenho diploma universitário, porque fui trabalhar com 14 anos, quero dar a oportunidade que eu não tive quando tinha 18 anos". Lula voltou a afirmar que não pode errar porque quando sair da Presidência não vai para Paris ou para Londres, mas para São Bernardo morar "a 800 metros do sindicato dos metalúrgicos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.