Em discurso de posse, Cabral diz que Lula foi 'o maior presidente da história do Brasil'

Governador agradeceu a Lula por ele ter vetado o que chamou de 'descalabro, não com o Rio de Janeiro, mas com a nação'

Wilson Tosta, O Estado de S.Paulo

01 de janeiro de 2011 | 13h22

Em discurso marcado por elogios ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o governador reempossado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), para quem Lula foi "o maior presidente da história do Brasil", reafirmou sua disposição de lutar contra perdas que seriam impostas ao Estado com a nova divisão dos royalties pela produção de petróleo.

 

Num pronunciamento de pouco mais de 30 minutos, na Assembleia Legislativa, Cabral agradeceu a Lula por ele ter vetado o que chamou de "descalabro, não com o Rio de Janeiro, mas com a nação". O presidente impôs veto ao dispositivo legal criado pelos parlamentares que redistribuía por todos os estados e municípios recursos originalmente do Rio de Janeiro. O governador reafirmou sua confiança de que a nova presidente, Dilma Rousseff, manterá a mesma postura que o antecessor em relação à questão.

 

"Não vamos, em hipótese alguma, respeitando os nossos deveres, abrir mão de nossos direitos", disse Cabral, que também elogiou o apoio do povo do Rio, que segundo ele, "disse não à covardia dos royalties do pré-sal". Em um plenário lotado, o governador recordou que ao tomar posse no primeiro mandato, em 1/1/2007, o Rio sofria uma série de atentados cometidos pelo crime organizado, e se mostrou satisfeito por ter "podido virar a página de um Estado" que há quatro anos "estava em pânico."

 

"Assumi com o Rio assustado, com mais de 50 vítimas do terror", afirmou. Ele elogiou o apoio dado pelas Forças Armadas à ação policial que retomou o controle de áreas antes dominadas por criminosos, como a Vila Cruzeiro e o Complexo do Alemão, no fim de novembro. O governador encerrou seu discurso com um compromisso: "Em 2014, não haverá uma comunidade ou um bairro de nosso estado dominado pelo poder paralelo"

 

Ele aproveitou para, mais uma vez, elogiar o presidente Lula, que a poucos dias do fim de seu mandato o apoiou. "Foi este mesmo presidente da República que durante uma campanha que parecia impossível, que parecia mais uma vez fadada ao fracasso como em outras duas vezes, abraçou um ideal, o sonho olímpico", disse Cabral, recordando o apoio de Lula à candidatura vitoriosa do Rio a sediar os Jogos Olímpicos de 2016.

 

O governador reconheceu que o Rio tem problemas na área da educação - na qual, segundo ele, o Estado avançou, mas não o suficiente. Ele prometeu que em 2014 o Estado estará entre os cinco primeiros no ranking do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade do ensino.

Tudo o que sabemos sobre:
Sérgio CabralRioLulaposse

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.