Em dia de mensalão, Lula vê Olimpíada e novela

Ex-presidente tem até uma teoria sobre a trama por ver semelhança com a vida e a com a política

José Maria Tomazela - O Estado de S. Paulo,

03 de agosto de 2012 | 15h46

Em dia de julgamento dos réus do mensalão, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem preferido ver na televisão os jogos olímpicos de Londres e assistir à novela. Foi o que revelou, nesta sexta-feira, 3, a assessora especial do ex-presidente e diretora do Instituto Lula, Clara Ant. "Ele não vê o mensalão, está assistindo a Olimpíada e a novela da Carminha", disse, referindo-se à novela Avenida Brasil, da Rede Globo. Carminha é a personagem vivida pela atriz Adriana Esteves, que abandonou sua enteada, a pequena Nina (Débora Falabella) num lixão. Depois de adulta, Nina retorna para se vingar da madrasta.

De acordo com a assessora, Lula acompanha a novela e tem uma teoria sobre a trama. "Ele tem uma análise pessoal sobre a semelhança da novela com a vida e também, um pouquinho, com a política", contou. Ela não quis revelar de qual personagem o presidente mais gosta. Quanto aos jogos, transmitidos com exclusividade, em canal aberto, pela TV Record, Lula prefere o futebol. Ele até pediu que não sejam agendados compromissos no horário dos jogos. Na quinta-feira, 2, o ex-presidente previu que o Brasil conquistaria o inédito ouro olímpico no futebol masculino.

Dúvida. O escritor e jornalista Fernando Moraes, que está escrevendo um livro sobre Lula, não havia decidido até ontem se irá incluir um capítulo sobre o mensalão, o principal escândalo político do seu governo. "Não faço ideia de como isso (o mensalão) vai ser tratado no livro." Ele adiantou que alguns réus no processo, como o ex-ministro José Dirceu, serão incluídos no texto em razão de sua relação com Lula. "Falei com o Dirceu e com um monte de gente, mas ainda não escrevi." O livro vai retratar a vida política de Lula, desde o início da década de 80 até a entrega da faixa presidencial para a presidente Dilma Rousseff.

Ontem, Moraes passou parte da manhã e da tarde em conversas com Lula para a coleta de informações. Ele ainda não sabe se vai incluir na história a luta do ex-presidente contra o câncer. A doença, segundo Moraes, atrasou o cronograma previsto para o lançamento. "O plano original era ficar pronto no começo do ano que vem, mas como ele ficou doente, vamos ter mais uns seis meses de trabalho." Lula também recebeu o presidente nacional do PC do B, Renato Rabelo, e, às 15 horas, a visita do ex-presidente do Paraguai, Fernando Lugo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.