Em depoimento, babá cita filho de Zoghbi

Foi a pedido dele que Izabel teria emprestado nome para abrir empresas

BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

09 de maio de 2009 | 00h00

Suspeita de ser laranja do ex-diretor do Senado João Carlos Zoghbi, a babá Maria Izabel Gomes, de 83 anos, disse ontem que aceitou emprestar sua assinatura para a abertura de empresas de fachada a pedido de um filho do servidor. Inquérito policial aberto pelo Senado investiga se as empresas pertenciam ao ex-diretor de Recursos Humanos, de quem Izabel foi babá.A informação a respeito das declarações da babá foi dada pelo advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que defende Zoghbi. O uso da babá supostamente visaria a ocultar o recebimento de quantias milionárias de instituições financeiras que faziam negócios com o Senado na área de crédito consignado, tendo o ex-diretor como intermediário. O inquérito foi aberto por ordem do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).O procurador da República Gustavo Pessanha Velloso compareceu ao depoimento de ontem. A Polícia Federal poderá ser chamada a ajudar nas investigações. Zoghbi deixou a função de diretor de RH do Senado após a descoberta de que repassou para parentes o apartamento funcional do Senado que deveria ser destinado a ele. Segundo a revista Época, Zoghbi usou o nome de Izabel para abrir três empresas - DMZ Consultoria Empresarial, DMZ Corretora de Seguros e Contact Assessoria de Crédito. Até três anos atrás, Izabel não tinha renda alguma. Segundo Época, em um ano e meio, as três empresas dela, e de outros dois sócios, faturaram R$ 3 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.