Reprodução
Reprodução

Em defesa da reforma trabalhista, Temer alerta contra ‘informações falsas’ 

Nas redes sociais, presidente diz que novas formas de contratação também exigem carteira assinada e fala em ‘um Natal melhor’ para os brasileiros

Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

11 Novembro 2017 | 19h25

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer divulgou nas redes sociais um vídeo em defesa da nova lei trabalhista, que entrou em vigor neste sábado, 11. Na mensagem, o presidente atacou os "pessimistas" e as "falsas informações" sobre as medidas.

"Não sejam enganados, meus amigos e minhas amigas, por falsas informações: todas as novas formas de contratação aqui mencionadas, inclusive a chamada jornada intermitente, exigem carteira assinada, com férias, décimo terceiro salário, INSS, e fundo de garantia proporcionais", disse. “Tudo indica que teremos um Natal melhor, com mesa mais farta e mais presentes para a família. É muito bom que seja assim. Os que apostaram no pessimismo não prosperaram: o Brasil se mostrou maior do que todas as dificuldades."

++Saiba o que muda com a nova legislação trabalhista

No vídeo, o peemedebista procurou direcionar seu recado para jovens e empresários. "Fiquei muito satisfeito em saber que existem pesquisas mostrando que os jovens têm expectativa muito positiva com essa modernização da lei trabalhista.  E ouço relatos de empresários que as contratações aumentarão a partir de agora", disse. "Os jovens estão certos. Perceberam que finalmente conectamos o mundo do trabalho no Brasil ao século 21. Agora, com a jornada parcial, os estudantes terão mais chance de obter uma colocação, com todos os direitos garantidos, sem risco de interromper os estudos".

Além disso, Temer buscou enaltecer as novas regras, como o chamado trabalho remoto. "Mães e pais, por exemplo, que queiram conciliar a atividade profissional com a atenção à família poderão também se beneficiar da meia jornada. Também é uma opção para quem quer se qualificar melhor. Profissionais das mais diversas áreas passam a poder trabalhar em casa", explicou. Ele não fez menções a possíveis modificações à lei, que estão sendo preparadas e podem ser enviadas ao Congresso via Medida Provisória e projetos de lei.

++Infográfico: Entenda a reforma trabalhista

Segundo o presidente, a nova lei trabalhista "amplia os horizontes" tanto para quem procura emprego como para os brasileiros que já estão empregados. "E com segurança jurídica, pois é uma lei aprovada pelo Congresso, sancionada pela Presidência da República, após amplo debate na sociedade", afirmou, antes de destacar dados sobre a melhora do quadro econômico. "É um novo tempo. O Brasil voltou a crescer e o desemprego cede. O IBGE mostrou que, no último trimestre, a população ocupada aumentou em 1 milhão e 100 mil pessoas. Com a nova lei, vamos acelerar a recuperação dos empregos."

::: Mande um WhatsApp com a sua dúvida sobre a reforma trabalhista para o E&N. O número é: 11 99439-3766 :::

Ao final, o presidente disse que os brasileiros "querem paz e merecem chegar ao final deste ano com esperanças renovadas". 

Leia o pronunciamento na íntegra:

Minhas amigas, meus amigos.

Uma das medidas mais importantes do nosso governo foi a modernização das relações de trabalho.  A nova lei trabalhista entrou em vigor neste sábado. Para ela, muito colaborou o ministro do trabalho, Ronaldo Nogueira.

Fiquei muito satisfeito em saber que existem pesquisas mostrando que os jovens têm expectativa muito positiva com essa modernização da lei trabalhista. 

E ouço relatos de empresários que as contratações aumentarão a partir de agora.

Os jovens estão certos. Perceberam que finalmente conectamos o mundo do trabalho no Brasil ao século 21. Agora, com a jornada parcial, os estudantes terão mais chance de obter uma colocação, com todos os direitos garantidos, sem risco de interromper os estudos.

Mães e pais, por exemplo, que queiram conciliar a atividade profissional com a atenção à família poderão também se beneficiar da meia jornada. Também é uma opção para quem quer se qualificar melhor.

Profissionais das mais diversas áreas passam a poder trabalhar em casa. 

Agora, há regras claras para o chamado trabalho remoto.

A nova lei amplia os horizontes para quem procura um emprego e para quem está empregado. 

E com segurança jurídica, pois é uma lei aprovada pelo Congresso, sancionada pela Presidência da República, após amplo debate na sociedade.

É um novo tempo.

O Brasil voltou a crescer e o desemprego cede. O IBGE mostrou que, no último trimestre, a população ocupada aumentou em 1 milhão e 100 mil pessoas.

Com a nova lei, vamos acelerar a recuperação dos empregos.

18 milhões de pessoas que hoje trabalham precariamente, na informalidade, terão seus direitos assegurados graças a essa nova lei.

Ocupações que hoje funcionam como “bicos” ou “extras” passam a ter proteção e garantias trabalhistas.

Não sejam, portanto, enganados, meus amigos e minhas amigas, por falsas informações: todas as novas formas de contratação aqui mencionadas, inclusive a chamada jornada intermitente, exigem carteira assinada, com férias, décimo terceiro salário, INSS, e fundo de garantia proporcionais.

Essa é a verdade. As mudanças que estamos fazendo são para consolidar e ampliar o trabalho digno no País, abrindo mais oportunidades para todos.

Tudo indica que teremos um natal melhor, com mesa mais farta e mais presentes para a família. É muito bom que seja assim.

Os que apostaram no pessimismo não prosperaram: o Brasil se mostrou maior do que todas as dificuldades.

Os brasileiros querem paz para trabalhar e merecem chegar ao final deste ano com esperanças renovadas.

Continuaremos a buscar, junto com nosso povo, novas conquistas.

Vamos em frente e muito obrigado a todos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.