Em Curitiba, até herança banca campanha

Líder nas pesquisas de intenção de voto para a prefeitura da capital paranaense, Rafael Greca usou dinheiro da venda de um imóvel da família

Julio Cesar Lima, especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

03 de setembro de 2016 | 17h27

Curitiba - Ex-ministro e ex-prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN) chamou a atenção no começo da disputa pela prefeitura da capital paranaense ao doar R$ 600 mil para sua própria campanha. Greca informa, por meio de sua assessoria, que os recursos foram resultado de uma negociação de imóvel da família.

“A declaração de bens do Imposto de Renda de Rafael Greca reflete o patrimônio em 31 de dezembro de 2015. Ele fez uma doação de R$ 600 mil de forma espontânea porque vendeu um terreno declarado, adquirido há mais de 20 anos no inventário de Ângelo Greca, e colocou o recurso na sua própria campanha, de acordo com a legislação vigente”, diz a nota.

Além disso, estão previstas realizações de eventos para arrecadar recursos durante o período eleitoral. “A captação de recursos se dará por meio de eventos, e está sendo estudada a possibilidade de doação online”, informa a assessoria.

Greca lidera a corrida eleitoral, segundo pesquisa divulgada pelo Ibope há duas semanas. O ex-prefeito, ao lado do atual, Gustavo Fruet (PDT), que tenta a reeleição, disputaram a prefeitura em 2012.

Para este ano, Fruet declarou o uso de R$ 23 mil em recursos próprios e outros R$ 323 mil em doações de pessoas físicas, conforme o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em 2012, Fruet teve uma campanha orçada em R$ 6,3 milhões, sendo que R$ 370 mil – equivalente a 5,9% do total – foram doados por 246 pessoas físicas. Greca arrecadou R$ 858,4 mil para a campanha daquele ano, e R$ 25 mil – o equivalente a 2,9% do total – foram doados por 40 pessoas.

Neste ano, a campanha de Fruet registrava até a última semana doações de cinco pessoas físicas, no total de R$ 187 mil.

Diretório. Filho do senador Roberto Requião, Requião Filho (PMDB) recebeu do Diretório Estadual de seu partido – presidido pelo pai – R$ 100 mil nesta primeira etapa da campanha. “Não vamos usar nem 20% do limite estipulado, mas esperamos também que as autoridades eleitorais e o Judiciário sejam rigorosos e fiscalizem o uso da máquina pública”, afirmou Requião Filho.

No PT, o deputado estadual Tadeu Veneri arrecadou R$ 5,8 mil em sua campanha de financiamento coletivo. O petista foi o pioneiro nessa modalidade de arrecadação eleitoral e espera arrecadar R$ 100 mil nesta campanha deste ano.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.