Em convenção tucana, Aécio critica alianças 'à força'

Insistindo na estratégia de vincular a candidatura adversária à ameaça de retrocesso, o PSDB de Minas Gerais realizou hoje sua convenção estadual para formalizar as candidaturas do governador Antonio Anastasia à reeleição e do ex-governador Aécio Neves ao Senado. Durante o evento, realizado na Assembleia Legislativa do Estado, Aécio comemorou a ampla coligação em torno do candidato tucano e criticou as alianças feitas "à força" e "por imposição", numa referência à coalizão entre PMDB e PT no Estado - que na próxima quarta-feira irá oficializar a chapa Hélio Costa/Patrus Ananias.

EDUARDO KATTAH, Agência Estado

27 de junho de 2010 | 18h06

"Tudo que é imposto já nasce com um certo nível de rejeição", afirmou o ex-governador, principal estrela da convenção, que lotou o plenário do Legislativo mineiro.

Aécio manteve o discurso triunfalista, afirmando que espera que Anastasia vença a eleição no primeiro turno. "Vou estar de mangas arregaçadas, caminhando por toda Minas Gerais para que nós possamos continuar avançando, impedindo que qualquer retrocesso tome conta do nosso Estado."

Na mesma linha, Anastasia, durante seu discurso, conclamou os aliados a uma campanha para evitar que "Minas volte atrás". "Aqueles que pretendem negar o que foi feito em Minas Gerais terão um trabalho muito árduo."

Acompanhados do ex-presidente Itamar Franco (PPS), candidato ao Senado na chapa, Aécio e o governador chegaram ao local ao som da música "Amigo", popular composição de Roberto Carlos e Erasmo Carlos.

Alianças

Além do PSDB, pelo menos outros 13 partidos (DEM, PPS, PP, PSB, PSC, PMN, PSL, PTB, PSDC, PRB, PDT, PTN e PT do B) integram a coligação. Hoje, o PSB e o PRB - partidos que apoiam a presidenciável petista Dilma Rousseff no plano nacional - confirmaram a aliança majoritária com os tucanos no Estado.

O presidente do PRB-MG, Rogério Colombini, destacou que a legenda fechou com os tucanos no plano estadual, mas o vice-presidente José Alencar está liberado para "subir no palanque que quiser". O PR também realizou convenção, mas, dividido entre o apoio a Costa e Anastasia, a definição deve ficar para a Executiva Nacional do partido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.