Em comício de Haddad, Lula diz que Serra 'anda muito agressivo'

Ex-presidente não comentou acusações de que estaria envolvido no mensalão

Bruno Boghossian,

15 de setembro de 2012 | 20h32

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva evitou responder publicamente as acusações sobre seu envolvimento com o esquema do mensalão ao participar pela primeira vez de um comício da campanha de Fernando Haddad (PT) para a Prefeitura de São Paulo, no mesmo dia em que foram publicadas declarações do empresário Marcos Valério sobre o caso.

No ato de campanha, Lula destacou realizações da gestão de Haddad no Ministério da Educação, como o Programa Universidade para Todos (ProUni), pediu a eleição do petista como presente de seu aniversário, em outubro, e disse que o candidato do PSDB na disputa, José Serra, está "muito agressivo".

"Tem um cidadão que é candidato que já foi prefeito, mas que com um ano e quatro meses, na primeira chuva de verão, ele correu, ele foi embora", disse Lula em referência à renúncia de Serra à Prefeitura, em 2006, para disputar o governo do Estado. "E ele anda muito agressivo. A gente, depois dos 60, não tem que ter agressividade. Tem que estar mais tranquilo, porque a gente vai morrer de enfarte se continuar agressivo."

A candidatura de Haddad e o PT são alvos da campanha de Serra, que tenta capturar os votos do eleitorado antipetista em São Paulo.

Lula e Haddad pouparam de críticas o líder nas pesquisas de intenção de voto, Celso Russomanno (PRB). Coube à ministra da Cultura e ex-prefeita Marta Suplicy fazer o ataque mais duro da campanha até agora ao candidato.

Ao lançar um apelo para "desconstruir" a imagem de Russomanno, Marta disse aos militantes petistas que ele "é lobo em pele de cordeiro" e que faz "pilantragem".

"Muita gente na rua diz que vai votar nele porque ele ajuda as pessoas, mas a gente sabe que aquele tipo de ajuda na televisão não é a ajuda de que o povo pensa. É lobo em pele de cordeiro", afirmou a ex-prefeita, em referência à atuação de Russomanno como repórter de quadros de defesa do consumidor na TV.

Marta levantou dúvidas sobre a capacidade de administração de Russomanno e disse que o candidato tem outros interesses ao ajudar a população.

"Vocês têm que entender que é pilantragem, que não é o que parece. Parece uma pessoa correta, mas não é. Ele faz comércio com a angústia dos outros, com a infelicidade e com a discriminação", afirmou. "No programa de TV, parece que é lindo e que defende o povo, mas não tem estatura para governar a cidade de São Paulo."

Em seu discurso, Haddad elogiou os governos de Lula e da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), destacando seus altos níveis de aprovação. Ao citar a disputa eleitoral paulistana, também atacou Serra.

"Um candidato perguntou por que a Dilma estava 'metendo o bico' em São Paulo. Ele teve a petulância de perguntar. Mas o bico ela não tem porque não é tucana", ironizou Haddad.

 
Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.