Em clima de comício, PT e PMDB lançam Hélio Costa e Patrus

Em ato que reuniu 3.000 militantes em BH, petistas prometem abraçar causa para vencer Aécio

Eduardo Kattah / BELO HORIZONTE, O Estado de S.Paulo

01 Julho 2010 | 10h08

Sem empolgação. Dilma não conseguiu animar a plateia

 

Com clima e estrutura de comício e com a participação da candidata à Presidência pelo PT, Dilma Rousseff, acompanhada do candidato a vice, Michel Temer (PMDB), os diretórios mineiros do PT e do PMDB realizaram um grande ato conjunto na noite de ontem em Belo Horizonte

 

Veja também:

Sonia Racy: Dilma abre campanha com caminhada

 

O evento foi organizado para marcar o encerramento das convenções estaduais dos dois partidos e o lançamento da coligação "Todos por Minas" - que reúne também o PC do B - e a chapa para o governo, encabeçada por Hélio Costa (PMDB), que tem Patrus Ananias como candidato a vice.

 

O ato foi marcado pela defesa da aliança entre petistas e peemedebistas, num Estado em que a coalizão ficou seriamente ameaçada e só foi confirmada após a intervenção das cúpulas nacionais.

 

"Conseguimos o que muitos achavam impossível. É uma forte aliança nacional e, como não poderia deixar de ser, é uma forte aliança em Minas Gerais", discursou Dilma, que mais uma vez ressaltou suas origens mineiras e pregou a continuidade do governo do presidente Lula.

 

Sem citar as dificuldades enfrentadas pela aliança oposicionista na formação da chapa encabeçada por José Serra (PSDB), o presidente do PT, José Eduardo Dutra, disse que o partido se deparou no início da pré-campanha com um noticiário negativo, mas agora o cenário é até mais favorável do que o esperado.

 

"Todo noticiário era no sentido de que nós não iríamos construir uma aliança com a amplitude que conseguimos, iríamos perder aliados, que a Dilma não seria uma boa candidata, que a Dilma não iria se consolidar", disse. "Hoje estamos na frente das pesquisas eleitorais. A evolução das pesquisas mostram se a campanha está indo bem ou não."

 

Dutra prometeu que o PT em Minas entrará de "corpo e alma" para eleger Costa. Ao encerrar um discurso inflamado, Patrus citou Guimarães Rosa afirmando que não faltará empenho dos petistas na campanha estadual. "Quando saio para dar batalha, convido o meu coração."

 

Os organizadores calculavam um público de 3 mil pessoas em frente à Assembleia. No local foi montada uma grande estrutura, com banners e um telão. Os candidatos foram recebidos com show pirotécnico. Militantes e claques de jovens tomaram o espaço com bandeiras e gritavam palavras de ordem para cada candidato. Apenas Patrus animou a plateia. Os discursos de Costa e Dilma não empolgaram.

Mais conteúdo sobre:
eleição Hélio Costa Patrus Ananias MG

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.