Arquivo pessoal/Divulgação
Arquivo pessoal/Divulgação

Em cidade mineira, a ‘guerra’ política é com outdoors

Apoiadores e opositores do presidente Jair Bolsonaro espalham peças com mensagens pró e contra o presidente

Leonardo Augusto, especial para o Estadão, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2020 | 14h23

BELO HORIZONTE – Em Sete Lagoas, município de aproximadamente 240 mil habitantes a 72 quilômetros de Belo Horizonte, a batalha entre apoiadores e adversários do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) agora ocorre por outdoors.

A “guerra” teve início em 8 de julho, quando um grupo de empresários locais, seguindo onda que já ocorria em outras cidades do País, espalharam pela cidade outdoors com a frase “7 Lagoas apoia Bolsonaro”. As placas foram colocadas em pelo menos sete ruas e avenidas e ganharam repercussão nas redes sociais.

A reação veio quatro dias depois, inicialmente com postagens de uma montagem nas redes sociais. Nela, um outdoor diz “7 Lagoas tá c. e andando proBolsonaro”, além do lema do governo federal. “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”. Na semana passada, os opositores  do presidente na cidade mandaram um outdoor na cidade, citando os dois episódios em que Bolsonaro foi bicado por emas nos jardins do Palácio da Alvorada.

A peça diz “7 Lagoas apoia a ema que bicou Bolsonaro”. E mostra ainda frases que o presidente disse ao longo da pandemia de coronavírus no País, como “e daí”?, “quer que eu faça o que?” e “não sou coveiro”, ao ser questionado sobre o número de mortos pela doença. O outdoor afirma ainda “Brasil: 80 mil mortes por covid-19”. 

O País registrou na segunda-feira, 27, 685 mortes e 26.496 novas infecções de coronavírus nas 24 horas anteriores. O balanço mais recente do Ministério da Saúde mostra ainda que 1.667.667 pessoas já se recuperaram do coronavírus em todo o País. No total, 87.737 vidas já foram perdidas por causa da covid-19 e 2.443.480 pessoas foram infectadas.

A placa tem uma espécie de selo, com o desenho de uma ema no centro e os dizeres “todo poder ‘ema na’ do povo”. A peça foi colocada na Rua Professor Abeylarte próximo à esquina com a Avenida Vila Lobos, na região central da cidade. Uma foto foi enviada à reportagem por um moradora local, que preferiu não se identificar por temer se envolver em possíveis conflitos de ordem política.

O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Sete Lagoas, Geraldir Carvalho Alves, afirma que a iniciativa de colocar os outdoors pró-Bolsonaro partiu de comerciantes independentes. “A entidade não tem partido. Temos gente a favor e contra o presidente, mas a CDL tem que ser imparcial.”  A reportagem tenta contato com os autores da peça contra o presidente. A empresa cujo telefone aparece no outdoor, e que seria a proprietária do espaço, não deu informações sobre quem contratou o serviço.

O preço para colocação de um outdoor na cidade é de R$ 120 (impressão) e R$ 270 por 15 dias de veiculação da peça.

Um dos outdoors colocados por apoiadores do presidente próximo à Igreja São José, na região em que está a rodoviária da cidade, foi atingido por lama. “O problema é que escreveram no outdoor como se todo mundo de Sete Lagoas apoiasse o presidente. E isso não é verdade”, aponta um funcionário da Câmara de Vereadores que não quis se identificar.

Bolsonaro tem divulgado nas suas lives semanais fotos de outdoors favoráveis espalhados pelo País. Segundo ele, as publicidades são feitas por “livre e espontânea” vontade pelos seus apoiadores. “Não tô pagando nem estimulando”, disse durante transmissão ao vivo no dia 16. “Isso vem do coração do povo brasileiro”, disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Sete Lagoas [MG]Jair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.