Em cerimônia com centrais, Dilma lamenta falta de Lula

A presidente Dilma Rousseff lamentou hoje a ausência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na cerimônia de assinatura da portaria que regulamenta a lei que autoriza a participação de empregados nos conselhos de administração das empresas públicas e sociedades de economia mista. "Falta, sem dúvida, uma pessoa que é o presidente Lula, porque ele lutou muito por esta lei", disse Dilma, em cerimônia fechada, no Palácio do Planalto, que contou com a presença de ministros, presidentes de estatais e sindicalistas.

ROSANA DE CASSIA, Agência Estado

11 de março de 2011 | 15h44

No discurso, distribuído depois pela Secretaria de Imprensa da Presidência, Dilma disse que a representação do empregado nesses conselhos não deve ser pro forma. "Nesses conselhos de administração se decidem as propostas de planejamento estratégico e a visão de longo prazo que se tem sobre como essas empresas têm de desempenhar e têm de contribuir para o crescimento econômico do País e, ao mesmo tempo, para uma prestação adequada de serviços públicos, e contribuir também com o processo de inclusão social", afirmou Dilma.

Sem citar nomes ou governos, ela lembrou das "tentativas" de privatização de estatais, "diante da crise do Estado brasileiro", e da valorização do trabalhador, depois das mudanças do momento político, econômico e social, numa referência do governo Lula. Segundo Dilma, essa valorização dentro das empresas contribuiu para conquistas, como o pré-sal. "O pré-sal não é fruto, pura e simplesmente de uma decisão de investimento. É fruto, sobretudo, de uma mobilização dentro da Petrobras para que a gente ultrapassasse os limites da nossa própria produção", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.