Em casa de enforcado não se fala em corda, diz FHC sobre crise

Ex-presidente evita falar sobre Senado, mas diz que, no entanto,como todo brasileiro 'está um tanto perplexo'

Agência Brasil,

07 de julho de 2009 | 13h39

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso evitou a todo custo comentar a crise política do Senado, ao chegar nesta terça-feira, 7,  ao Congresso, onde participa de sessão em homenagem aos 15 anos do Plano Real. "Em casa de enforcado não se fala em corda" afirmou ao ser perguntado sobre o assunto.

 

Veja também:

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

trailer Galeria: vista aérea da casa particular de José Sarney na Península dos Ministros 

lista Confira a lista dos 663 atos secretos do Senado

documento Leia a íntegra da defesa do presidente do Senado

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

lista O ESTADO DE S. PAULO: Neto de Sarney agencia crédito no Senado 

 

Fernando Henrique disse, no entanto, que como todo brasileiro "está um tanto perplexo". Ele ressaltou, no entanto, que sua presença no Senado é para comemorar os 15 anos do Plano Real. "Eu prefiro, realmente, em homenagem ao Senado que vai falar sobre o real, não falar sobre essas coisas porque é muito desagradável", acrescentou.

 

A respeito do aniversário de 15 anos do Plano Real, o ex-presidente alertou que o aumento de gastos promovidos pelo governo pode colocar em risco a política monetária implementada, caso não se preste atenção no equilíbrio fiscal.

 

"Há alguns sinais, neste ano, inquietadores como a aceleração de gastos no momento em que a arrecadação diminui. Sempre há a desculpa e às vezes não é desculpa mas é necessário, de que como temos a crise é preciso manter a perda de vitalidade (da economia)", afirmou. Entretanto, o ex-presidente enfatizou a necessidade de se "medir" os gastos públicos feitos.

 

Ele acrescentou a necessidade de o governo administrar, no dia a dia, os efeitos da crise mundial no Brasil. "Política econômica é navegação, tem que ir navegando. Tem um obstáculo desvia, se não desviar bate mal e, em 2011, pode ter problemas e se o governo desviar passa (por eles)".

Tudo o que sabemos sobre:
FHCCrise no Senado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.