Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Em carta, petista fala em 'melhorar' o futebol

No dia seguinte à derrota para a Holanda por 3 a 0, resultado que deixou o Brasil em 4.º lugar no Mundial, a presidente Dilma Rousseff divulgou carta aos jogadores. Ela aproveitou a mensagem para, de novo, defender mudanças no esporte, "dentro e fora dos estádios" e exaltou a realização da Copa no País.

TÂNIA MONTEIRO / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2014 | 02h02

"Nós, brasileiros, não levamos a taça, mas fizemos a Copa das Copas", disse a presidente ontem na correspondência endereçada aos "queridos jogadores e querida comissão técnica".

Dilma diz no texto que "o que permanecerá mais forte no coração do nosso povo serão os momentos de alegria que vocês nos proporcionaram nesta Copa e que, seguramente, irão nos garantir em Copas futuras. Principalmente porque todos nós, sem exceção, saberemos aproveitar as lições de agora para melhorar ainda mais o nosso futebol, dentro e fora dos estádios".

A defesa da presidente por mudanças estruturais no futebol foi feita após a goleada sofrida pelo Brasil (7 a 1) na semifinal da Copa para a Alemanha.

Dilma sugeriu a criação de mecanismos para impedir a saída de jogadores do País com menos de 19 anos e o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, chegou a falar em "intervenção indireta" na organização das competições e na gestão dos clubes.

A proposta gerou críticas do candidato do PSDB ao Planalto, Aécio Neves, que acusou a petista de tentar criar uma "Futebrás". Anteontem, Dilma usou o Twitter para rebater Aécio e afirmou que "o governo não quer comandar o futebol, pois ele não pode, nem deve ser estatal".

Dilma, porém, vai insistir no tema. Na sexta-feira ela recebe representantes do Bom Senso Futebol Clube, movimento que reúne jogadores que reivindicam melhores condições de trabalho para os atletas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.