Em carta, gays cobram respeito de candidatos

A Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) divulgou ontem uma carta aberta aos presidenciáveis, cobrando mais respeito "à democracia, à cidadania de todos e de todas, à diversidade sexual e à pluralidade cultural e religiosa". Representando 237 entidades em todo o Brasil, a ABGLT enviou o documento a comitês estaduais e nacionais do PSDB e do PT e o publicou em seu site.

AE, Agência Estado

16 de outubro de 2010 | 11h33

A carta critica duramente o que chama de "instrumentalização de sentimentos religiosos e concepções moralistas na disputa eleitoral" e expressa preocupação com a "inescrupulosa disposição de determinados grupos conservadores da sociedade a disseminar o ódio na política em nome de supostos valores religiosos."

Para o presidente da ABGLT, Toni Reis, a disputa eleitoral está reduzida a uma batalha entre gays e religiosos. "A discussão não é essa. O Estado é laico e o que estamos pedindo é que a cidadania dos homossexuais seja completa. Hoje, um casal homossexual tem 78 direitos negados e 3,2 mil gays foram assassinados nos últimos 20 anos", disse Reis. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.