Em Buenos Aires, Lula participa da criação do Banco do Sul

Formado por sete países, o banco se propõe a buscar a integração financeira da América do Sul

Agência Estado,

09 de dezembro de 2007 | 11h16

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai participar, na noite deste domingo, 9, em Buenos Aires, da cerimônia de assinatura da ata de fundação do Banco do Sul. Constituído por Argentina, Brasil, Bolívia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela, o banco se propõe a buscar a integração financeira da América do Sul, promovendo a ampliação das fontes de recursos para projetos nacionais e regionais e o fortalecimento da estrutura financeira dos países da região.   O banco será fundado com um total de US$ 7 bilhões (o equivalente a R$ 11,1 bi), sendo que a maior parte virá do Brasil e da Venezuela. A Argentina entrará com um capital de aproximadamente US$ 800 milhões, o equivalente a R$ 1,4 bilhões. Do lado argentino, a formalização do Banco do Sul será o último ato de governo do presidente Nestor Kirchner, que às 15 horas da segunda-feira, 10, vai transmitir o cargo à sua mulher Cristina Kirchner, em evento que terá as presenças de nove presidentes latino-americanos, entre os quais Luiz Inácio Lula da Silva, que deveria chegar no fim da tarde à capital argentina.   Além da assinatura da ata de fundação do Banco do Sul, sua agenda prevê participação em jantar no Palácio San Martin, oferecido pelo presidente Nestor Kirchner e pela presidente eleita Cristina Kirchner a chefes de Estado e de Governo, chefes de delegações estrangeiras e convidados especiais.Na segunda, Lula deverá tomar café da manhã com o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, segundo o porta-voz da Presidência da República, Marcelo Baumbach. Terá ainda audiência com o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, e encontro privado com o primeiro-ministro da França, François Fillon, a quem oferecerá almoço na Embaixada do Brasil em Buenos Aires.   Às 15 horas, participará das cerimônias de posse da presidente Cristina Kirchner. Às 17h30, o presidente embarcará de volta a Brasília, com desembarca previsto para às 22 horas.

Tudo o que sabemos sobre:
Banco do SulLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.