Marcos Corrêa|PR
Marcos Corrêa|PR

Em Brasília, Alckmin negocia palanques no Rio, MT e DF

Pré-candidato do PSDB à Presidência da República teve encontros com o governador Pedro Taques (MT), deputado federal Indio da Costa (PSD-RJ), com o ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes e com o deputado Izalci Lucas

Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

01 Março 2018 | 20h25

Pré-candidato do PSDB à Presidência, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, aproveitou sua passagem por Brasília nesta quinta-feira para fazer articulações para as eleições nos estados de Rio de Janeiro, Mato Grosso e Distrito Federal.

Após participar de reunião com os governadores no Palácio do Planalto, cujo assunto foi o anúncio de uma linha de crédito do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a área de segurança, Alckmin se encontrou com o governador do Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), que deve se candidatar à reeleição no estado e poderá oferecer um forte palanque para o paulista durante a campanha.

++ Possível candidatura de Doria divide tucanos em São Paulo

Outra agenda do tucano foi com o deputado federal Indio da Costa (PSD-RJ), que se articula para ser candidato ao governo do Rio de Janeiro. Em busca de uma aliança competitiva no estado fluminense, o tucano teve uma conversa "amistosa" com o parlamentar. "Seria um construção natural porque fui vice do Serra [em 2010]. Sempre votei no PSDB. Foi uma conversa amistosa", relatou Costa, ao lembrar da sua participação na chapa do senador José Serra (PSDB-SP) naquele ano, então candidato tucano à Presidência.

Apesar do encontro, Alckmin ainda cogita fazer uma aliança com o ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (MDB-RJ). O emedebista negocia trocar de partido e teria recebido, inclusive, um convite para retornar ao ninho tucano. Sobre isso, Indio da Costa diz ter feito um alerta ao governador paulista. "Alertei ele de que o Eduardo Paes carrega o legado do PMDB no Rio. [O deputado] Jorge Picciani está articulando essa chapa de dentro da cadeia", cutucou.

++ Se eleito, Alckmin diz que vai manter ministério da Segurança

Alckmin também teve uma agenda com o deputado federal Izalci Lucas (PSDB-DF), que briga para ser candidato do PSDB ao governo do Distrito Federal. A candidatura dele esbarra, no entanto, nas negociações com o atual governador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), o que poderia facilitar uma aliança nacional com os socialistas.

Sobre isso, o líder do PSDB na Câmara, deputado Nilson Leitão (PSDB-MT), explicou que, caso Izalci Lucas consiga se viabilizar como candidato ao governo, Alckmin não teria nenhum problema em frequentar dois palanques no DF. Leitão contou ainda que relatou para o governador a situação dos palanques tucanos no Acre, onde o PSDB deve apoiar o senador Gladson Cameli (PP-AC), que vai se candidatar ao governo do Estado, e em Rondônia, estado onde o PSDB vai lançar a candidatura estadual da deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.