Em blog, Garotinho diz que recorrerá da decisão do TRE-RJ

Anthony Garotinho, ex-governador do Rio, afirmou nesta terça-feira, 10, que recorrerá da decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) e negou as irregularidades apontadas no processo. Na noite da última segunda-feira, cinco dos seis juízes do tribunal tornaram inelegíveis Garotinho e sua mulher Rosinha, que também governou o Rio na gestão passada. Os dois são acusados de pavimentar ruas em Sapucaia, na região Centro-Sul, em troca de votos para o deputado federal Geraldo Pudim, o mais votado no Estado. A decisão também prevê a cassação do mandato de Pudim e a inelegibilidade do presidente do Departamento de Estradas e Rodagem, Henrique Alberto dos Santos Ribeiro.IndiciamentoA condenação do casal Garotinho no tribunal eleitoral acontece três dias depois que a Polícia Federal do Rio anunciou o indiciamento dos dois também por crime eleitoral. Pudim e o deputado estadual Álvaro Lins (PMDB), ex-chefe da Polícia Civil do Rio, também constam do documento. Os quatro são acusados de beneficiar um grupo formado por excedentes de um concurso para inspetor de Polícia Civil, em troca de votos nas últimas eleições. Cada um dos aprovados teria se comprometido, segundo as investigações, a conseguir até 50 votos para os candidatos Pudim e Lins. Pelo menos 300 excedentes foram incorporados aos quadros da Polícia Civil. Mais uma vez, Garotinho negou as acusações e se disse vítima de "perseguição política".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.