Reprodução
Reprodução

Em blog, Dirceu ataca Serra e diz que PSDB 'já entregou os pontos'

Ex-ministro, condenado no julgamento do mensalão, diz que disputa em SP já está definida a favor de Haddad

Ricardo Brandt, da Agência Estado

22 de outubro de 2012 | 18h50

CAMPINAS - O ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu afirmou nesta segunda-feira, 22, que o candidato a prefeito de São Paulo José Serra (PSDB) faz uma campanha "negativista" e que "os tucanos já entregaram os pontos" na disputa com o candidato do PT, Fernando Haddad. Dirceu escreveu que aliados de Serra já estão buscando novas lideranças no partido e classificou a possível filiação do tucano ao PSD em 2014 como algo não "impossível".

 

"São cada vez mais frequentes as notícias de que os tucanos já entregaram os pontos e encaram com realismo a derrota. E de que já se reorganizam e rearrumam-se em torno de novas lideranças porque consideram que José Serra, com mais essa iminente derrota em São Paulo, já era", escreveu Dirceu e um dos dois artigos que publicou em seu blog atacando Serra.

 

O ex-ministro, principal acusado no processo do mensalão, foi citado por Serra durante o debate e entrevistas com jornalistas para criticar o candidato do PT. "Não será impossível que [Serra] se mude em 2014, de malas e bagagens, para o PSD refundado pela terceira vez por seu principal aliado, o prefeito paulistano Gilberto Kassab (ex-DEM-PSDB)", escreve.

 

Em um dos artigos, intitulado "José Serra não aprende, nem se emenda", Dirceu afirma que o candidato do PSDB tem "um histórico de campanhas negativistas". "E olha que ele disputou praticamente todas as eleições de 1986 para cá", brinca. "Castigado pela falta de voto (segundo as pesquisas), de público e de crença dos eleitores em suas afirmações, mesmo assim José Serra, na última semana e quase às vésperas do pleito, prossegue com sua campanha negativista", ataca o ex-ministro.

 

Segundo ele, "olhando em retrospectiva sua participação em outras disputas, a impressão que fica é que ele não sabe fazer campanha de outra forma".

 

Reta final. Dirceu afirma que o PSDB e Serra "fazem de tudo" nesta última semana de eleição para que o "eleitor esqueça que ele, a exceção do mandato de deputado constituinte, abandonou todos os demais cargos para os quais se elegeu" - reforçando um discurso adotado na campanha de Haddad contra o adversário.

 

"O desespero tucano é maior porque enquanto não atrai público para as aparições de José Serra, e seus comícios e atos públicos são esvaziados, é cada vez maior a participação popular e o entusiasmo nos atos de campanha do PT", comemora Dirceu. Ele cita os eventos da campanha que contaram com a participação da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Paulo, na região do ABC paulista, em Campinas e em capitais do Nordeste.

 

Interlocutor frequente do ex-presidente Lula desde que começou o julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Dirceu afirmou que ele "foi muito feliz" ao comparar Serra aos ex-presidentes Fernando Collor de Mello e Jânio Quadros. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.