Em audiência esvaziada, tesoureiro do PT depõe sobre desvios na Bancoop

João Vaccari Neto é acusado pelo MP paulista de desviar recursos da Bancoop para campanhas

Ana Paula Scinocca, da Agência Estado

30 de março de 2010 | 08h21

Como queria o governo, o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, vai depor nesta terça-feira, 30, na condição de convidado, em audiência pública conjunta, no Senado, das comissões de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle e de Direitos Humanos. Ex-presidente da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), Vaccari deve falar, a partir das 11h30, em uma sessão esvaziada. Em razão da Semana Santa, muitos senadores não devem vir ao Congresso esta semana.

 

Veja também:

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gifCPI da Bancoop começa a tomar forma em SP

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gifBlat diz ao Senado que Bancoop é 'organização criminosa'

 

Acusado pelo Ministério Público Paulista de desviar recursos da Bancoop para campanhas do PT, inclusive as do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Vaccari também foi convocado a depor na CPI das ONGs, em um cochilo dos senadores da base governista. O depoimento na comissão parlamentar de inquérito chegou a ser marcado, mas foi adiado a pedido de Vaccari. Uma nova data ainda não foi definida.

 

Além do tesoureiro petista, também será ouvido hoje nas comissões do Senado o advogado da cooperativa, Pedro Dallari. O promotor do Ministério Público de São Paulo José Carlos Blat também foi convidado, mas não virá. Ontem, Blat encaminhou ofício ao Senado alegando ter compromisso médico e diligências do caso para fazer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.