Em ato do PROS, Dilma faz crítica velada a adversários

Na convenção nacional em que recebeu o apoio do PROS à sua campanha pela reeleição nesta terça-feira, 24, a presidente Dilma Rousseff pôs em prática o discurso de comparar as realizações do governo com a dos adversários na disputa presidencial e ressaltou as conquistas ocorridas sob a gestão do PT nas áreas sociais.

ERICH DECAT E RICARDO DELLA COLETTA, Agência Estado

24 Junho 2014 | 19h25

"Neste momento dois modelos estão em jogo. Um prega a volta ao arrocho salarial, concentração de renda e alienação do patrimônio público. O modelo que defendemos propõe maior distribuição de renda e redução da desigualdade. O modelo enfrenta situação internacional difícil, mas garante emprego e salário", afirmou Dilma ao fazer uma referência velada ao PSDB de seu principal adversário, o senador Aécio Neves. "Brasil nos últimos 11 anos mudou muito, mas é por isso que ele quer mais mudança", continuou.

A presidente também pegou uma carona na vitória da seleção brasileira sobre Camarões ontem, pela Copa do Mundo. "A nossa seleção venceu desafios, derrotou o pessimismo e mais uma vez mostrou que o Brasil está entre os melhores."

A frase serviu como introdução para Dilma comemorar o fato de as manifestações ocorridas até aqui contra o Mundial não terem atrapalhado os jogos. E na sequência citou alguns números de setores estratégicos, com a geração de empregos e o ganho de renda da população durante o governo do PT.

Ela também reservou parte do discurso para enaltecer a Petrobras, alvo de duas Comissões Parlamentares de Inquérito no Congresso, citando decisão de hoje do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) de conceder em regime de partilha quatro campos de petróleo para exploração da Petrobras.

Ao falar diretamente aos integrantes do PROS, Dilma afirmou que considera a legenda madura e moderna. "Tenho certeza de que juntos vamos garantir mais 4 anos de conquistas para o povo. Juntos vamos iniciar nova etapa de modernização da nossa sociedade."

Com a adesão à campanha de Dilma, o PROS deve contribuir com cerca de um minuto para o programa de rádio de TV da petista durante a disputa presidencial.

O partido integrará uma coligação de 10 legendas. Até o momento, já oficializaram apoio à reeleição de Dilma, além do PROS, o PMDB e o PDT. Nesta quarta-feira, 25, deve ser a vez do PP e PSD. Na sexta-feira, está previsto o encontro do PCdoB.

Mais conteúdo sobre:
eleiçõesprosdilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.