Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Em ato contra Alckmin, funcionários criticam cortes

Servidores aproveitam posse dos deputados estaduais na Assembleia para fazer protesto silencioso contra proposta de extinguir órgãos do governo

Ricardo Chapola, O Estado de S. Paulo

15 de março de 2015 | 09h55

São Paulo - Cerca de 80 funcionários da Fundação do Direito Administrativo (Fundap) e do Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal (Cepam) realizam neste domingo, 15, um protesto silencioso contra o governador Geraldo Alckmin (PSDB) em frente à Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP), onde a nova legislatura toma posse.

Alckmin não comparecerá ao evento. Ele será representado pelo vice-governador, Márcio França (PSB).

Em fevereiro, o governo enviou à Assembleia a proposta de extinção dessas dois órgãos ligados à administração indireta como parte de um pacote de medidas de contingenciamento de gastos previstos para esse ano.

"O governador enviou para a Assembleia um projeto para extinguir as fundações, sem discutir com a gente. Queremos uma audiência pública para discutir", afirmou Paula Picciafuoco, presidente da associação de funcionários da Fundap.

Segundo ela, uma eventual extinção das fundações prejudicaria cerca de 600 servidores.

Os manifestantes carregam faixas em frente à entrada da Assembleia com mensagens como "Sem água, sem fundações, sem rumo" e "Estão cortando a inteligência para preservar a burrice".

A presidente da associação disse que quatro membros da associação conseguiram acesso ao plenário onde vai ocorrer a cerimônia de posse dos deputados. Dentro da Assembleia, eles continuarão o protesto silencioso, levantando cartazes.

Tudo o que sabemos sobre:
Geraldo Alckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.