Em assalto, bandidos levam documentos ligados ao caso Renan

Homens armados criam suspeita com invasão ao Matadouro Frigorífico de Alagoas

03 de agosto de 2007 | 12h20

Os cerca de seis homens armados que assaltaram na madrugada de quinta-feira, 2, o Matadouro Frigorífico de Alagoas (Mafrial) - cujo capital acionário tem participação do governo do Estado - levaram, além de dinheiro, documentos que deveriam ser entregues nesta sexta-feura para o processo contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Os bandidos levaram uma quantia de R$ 17 mil em dinheiro e R$ 200 mil em cheques. Segundo os empregados do frigorífico, os assaltantes conheciam toda a movimentação do local. Dentro da indústria, os assaltantes fizeram os vigilantes reféns e foram direto ao gabinete da diretora-geral do frigorífico, Zoraide Beltrão. A ação durou pouco mais de meia hora. O Mafrial está no centro da investigação que apura a origem dos rendimentos do senador. Suspeito de ter as contas pessoais pagas por Cláudio Gontijo, lobista da empreiteira Mendes Júnior, o presidente do Senado apresentou vários documentos de venda de gado para comprovar que tinha renda suficiente para pagar o aluguel e a pensão para jornalista Mônica Veloso, com quem tem uma filha de três anos fora do casamento.

Tudo o que sabemos sobre:
Renan CalheirosMafrial

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.