Em apoio a Dilma, ministro diz que 'hora de almoço é de hora de militância'

Guilherme Casse afirmou que só conseguiu comparecer ao evento graças a esta pausa em sua agenda

Carol Pires, de O Estado de S.Paulo

13 Julho 2010 | 14h44

BRASÍLIA - O ministro de Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, compareceu nesta terça-feira, 13, ao ato público de apoio à campanha de Dilma Rousseff (PT) à presidência da República, organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag). Cassel informou, no entanto, logo no início do discurso, que estava presente porque era seu horário de almoço. "Estou em meu horário de almoço e, agora, horário de almoço é horário de militância", disse.

 

 

Segundo cartilha da Advocacia-Geral da União (AGU), os ministros e o presidente da República podem participar de evento de campanha apenas fora do horário de trabalho. Cassel chegou ao evento por volta das 12h05 e foi embora por volta das 14h10.

 

 

Durante o breve discurso, no qual chamou Dilma de "futura presidente da República", Cassel elogiou a gestão do governo Lula do setor da agricultura e alfinetou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB.

 

 

"Queremos comparar o nosso governo com governo deles - o passado e o presente. O descaso deles com agricultura e com a reforma agrária com o nosso conjunto de medidas. Antes de 2003, os agricultores eram condenados a invisibilidade não se acreditava que agricultores fossem capaz de produzir e produzir com qualidade", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.