Em ano eleitoral, Marta abre mais concursos

A Prefeitura de São Paulo abriu mais vagas este ano em concursos públicos do que a soma dos postos que ofereceu nos dois anos anteriores. De janeiro até este domingo, os cargos anunciados pela gestão Marta Suplicy (PT) chegavam a 9.138. Isso significa 17,5% a mais do que todas as 7.777 vagas anunciadas ao longo de 2002 e 2003, quando foram abertos 2.997 e 4.780 cargos, respectivamente.Entre os profissionais convocados estão professores, médicos, enfermeiros, agentes vistores, guardas municipais e auxiliares administrativos. Nem todas essas vagas, porém, estão preenchidas, pois há concursos ainda em processo de nomeação dos aprovados. Pelo menos 3 mil das 9.138 vagas anunciadas não trarão nenhum reforço de quadro à atual gestão. Embora os concursos tenham sido anunciados agora, os aprovados só poderão assumir suas funções em 2005. São cerca de 1.700 guardas municipais, 490 professores adjuntos de educação infantil e outros 929 de ensino fundamental. De acordo com a legislação eleitoral, administradores públicos em campanha não podem nomear funcionários em ano de eleições se o concurso não tiver sido encerrado até três meses antes do pleito - 3 de julho, neste caso. A prefeita Marta Suplicy já anunciou que será candidata à reeleição. Nos concursos citados, a conclusão está prevista para o segundo semestre.Número de concursos só não é maior que o de 2001Ao todo, terão sido abertos este ano dez concursos, um aumento significativo se comparado ao ritmo de 2002 e 2003, quando foram feitas quatro e sete seleções, respectivamente. O número de 2004 só fica atrás do registrado no primeiro ano de mandato, quando foram realizados 11 concursos para preencher 14.903 postos de trabalho. A administração justificou o "boom" de contratações naquela época alegando que era preciso repor pessoal em áreas estratégicas, como saúde e educação, desfalcadas nas gestões de Celso Pitta (1997-2000) e Paulo Maluf (1993-1996). Os maiores concursos foram para a contratação de médicos, com cerca de 2 mil vagas, e professores, com 4.600.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.