Em acordo para Mesa no Senado, PT leva cargo cobiçado

Depois de quatro horas de reunião, o PT - quarto maior partido do Senado - foi bem sucedido num acordo para ocupar a presidência da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), que será entregue ao senador Aloizio Mercadante (SP). O cargo era cobiçado por todos os partidos, porque além de avalizar os empréstimos da União, Estados e municípios - é por lá que passarão as propostas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e demais projeto relacionados ao desenvolvimento do País. Sob o comando do presidente Renan Calheiros (AL), o PMDB cedeu a vaga ao aliado. Como consolo, ganhou o comando das comissões de Agricultura e Fiscalização e Controle, além da segunda secretaria, que será presidida pelo senador Gérson Camata (ES). Nem a "generosidade" do PMDB, foi suficiente para pacificar a bancada petista. Fechado o acordo, os senadores da bancada continuaram uma segunda reunião para solucionar o impasse em torno da primeira vice-presidência, disputada pelos senadores Tião Viana (AC) e Serys Slhessarenko (MT). Inconformada com a decisão de Tião de continuar no posto, Serys ameaçava disputar com ele em plenário, mesmo que fosse "para perder". No final, ela perdeu e não reagiu. Como já era esperado, o PFL conseguiu manter tanto a primeira secretaria, como a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que continuarão sendo comandadas pelos senadores Efraim Morais (PB) e Antonio Carlos Magalhães (BA). O partido também ficou com a Comissão de Relações Exteriores, para o piauiense Heráclito Fortes. Na cota do PSDB ficaram a segunda vice-presidência, entregue a Álvaro Dias (PR), e duas comissões: Infra-Estrutura e Desenvolvimento Regional, que serão presididas por tucanos de Goiás, Marconi Perillo e Lúcia Vânia. O PDT, com apenas quatro senadores, foi favorecido pelo acordo, ao obter a presidência da Comissão de Educação para o senador Cristovam Buarque (DF). A Comissão de Assuntos Sociais foi entregue à senadora do PSB, Patrícia Gomes (CE). Os demais cargos da Mesa foram ocupados pelos senadores César Borges (PFL-BA), novo terceiro secretário; Magno Malta (PR-ES), na quarta secretaria. Os dois suplentes do PSDB serão Papaléo Paes (AP) e Flexa Ribeiro (PA). As outras suplências ficaram com os senadores Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) e Sérgio Zambiasi (PTB-RS).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.