Em 2 anos de governo, Lula tem 45% de aprovação, apura Datafolha

Pesquisa Datafolha publicada pelo jornal Folha de S. Paulo neste Domingo revela que a avaliação positiva do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva subiu 10 pontos porcentuais nos últimos quatro meses e chegou a 45%. A pesquisa foi realizada nos dias 14 a 17 de dezembro.O patamar de 45% é atingido justamente quando o governo Lula completa dois anos. Trata-se do melhor nível de avaliação de Lula, antes atingido apenas uma vez, em agosto do ano passado. A pior avaliação do governo Lula foi 35%, apurado em agosto deste ano. A pesquisa aponta ainda que, além dos 45% que consideram o governo Lula ótimo/bom, 40% dos entrevistados consideram-no apenas regular. A avaliação ruim/péssima foi apontada por 13% dos entrevistados. Só 1% dos entrevistados não souberam avaliar.A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos. Foram entrevistadas 4.291 pessoas com mais de 16 anos em 154 municípios de todas as 27 unidades da Federação.Avaliação por renda e escolaridade A pesquisa revela que os mais ricos são os mais satisfeitos com o governo Lula. Entre os entrevistados com renda superior a dez salários mínimos, 50% consideram a administração do PT ótima ou boa. Esta é uma marca inédita nos dois anos do governo Lula. Já os mais pobres, com renda mensal inferior a cinco salários mínimos, têm esta avaliação em 45% dos entrevistados.Os entrevistados com escolaridade mais alta são os que mais aprovam Lula - 47% dos entrevistados. Para aqueles que têm apenas o ensino fundamental, a avaliação ótimo/bom é verificada em 46% dos entrevistados. Comparado a FHCAo completar dois anos de governo, o tucano Fernando Henrique Cardoso detinha 47% de aprovação. Contudo, na pesquisa, quando indagados qual governo é melhor, se o de Lula ou o de FHC, 54% apontam o do petista como o melhor. Este porcentual é estável desde o início do mandato (variou de 50% a 55%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.