Em 2 anos, candidatos às eleições de 2008 enriquecem 46,3%

Número é a média da evolução patrimonial de políticos entre 2004 e 2006, segundo Transparência Brasil

da Redação,

04 de agosto de 2008 | 15h59

Os candidatos à eleição deste ano ficaram 46.3% mais ricos do que em 2006, quando houve eleições para presidente, governadores, senadores, deputados estaduais e federais, segundo levantamento da ONG Transparência Brasil divulgado nesta segunda-feira, 4.  Veja também:Leia a íntegra do levantamento da Transparência Brasil Número é a média da evolução patrimonial declarada por 180 integrantes das Câmaras Municipais de capitais dos Estados que também foram candidatos nas eleições de 2006 e por 255 deputados federais, senadores e deputados estaduais que concorrem a prefeituras e vice-prefeituras.  Considerando-se apenas os vereadores, a média de enriquecimento foi de 41%; a dos senadores e deputados, de 50%. Dos vereadores que foram candidatos em 2006, 15 declararam não possuir bens naquele ano, mas em 2008 atingiram a média de R$ 108 mil. Outros nove parlamentares cujo montante patrimonial era nulo em 2006 repetiram o número em 2008.  Dos 709 vereadores em exercício nas 26 capitais brasileiras, 663 buscam a reeleição ou concorrem aos cargos de prefeito ou vice-prefeito. O patrimônio médio declarado por esses vereadores é de R$ 377 mil.  Tomando-se por base o PIB per capita das regiões metropolitanas das capitais, os vereadores dessas cidades são, em média, 45 vezes mais ricos do que a média da comunidade que representam.  Desde 2006, os candidatos em eleições são obrigados a fornecer à Justiça Eleitoral suas declarações de bens, que são publicadas pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Tudo o que sabemos sobre:
Transparência Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.