Roberto Stuckert/PR
Roberto Stuckert/PR

Em 1ª reunião com ministros, Dilma cria instrumento para monitorar projetos

Intenção é diminuir o uso de papel e agilizar processo e andamento de projetos públicos

Célia Froufe e Eduardo Cucolo

23 de janeiro de 2012 | 19h49

O governo decidiu criar um instrumento para monitorar o andamento dos projetos públicos. A cobrança sobre o ritmo da execução ficará a cargo da Casa Civil, conforme informou nesta segunda-feira, 23, o porta-voz da Presidência da República, Thomas Traumann. Segundo ele, a presidente Dilma Rousseff avaliou o projeto como "revolucionário" e "absolutamente indispensável para a reforma do Estado".

O governo decidiu tomar essa atitude pois se convenceu de que o Estado trabalha hoje com excesso de papel e as prestações de contas agora serão monitoradas de forma mais rápida. Anteriormente, de acordo com o porta-voz, elas se davam em prazos mais longos. O modelo desse programa deverá ficar pronto em até seis meses e a ferramenta será usada apenas para avaliações internas.

Um dos motivos que levaram o governo a criar esse instrumento é o fato de a classe C, em ascensão, ser uma forte usuária do serviço público. Foi avaliado que é necessário haver uma cobrança pelos projetos "na hora".

Mais conteúdo sobre:
projetosmonitoramentogoverno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.