Em 1ª discussão, Câmara de São Paulo aprova Orçamento 2009

Mesmo com corte de R$ 2,2 bilhões, emendas parlamentares não terão reservas reduzidas, como outras pastas

Agência Estado,

10 de dezembro de 2008 | 15h15

Por 39 votos favoráveis e 12 contrários, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta quarta-feira, 10, em primeira discussão, o orçamento de 2009 para a capital paulista. A bancada do Partido dos Trabalhadores (PT), composta por 12 vereadores, votou contra. Não houve nenhuma abstenção. Os parlamentares poderão apresentar emendas ao orçamento até as 20 horas de quinta na Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara, segundo informou a assessoria da Casa. Só então a proposta será votada em definitivo.   Veja também: Comissão corta orçamento, mas mantém emendas de vereadores A Comissão de Finanças da Câmara Municipal autorizou corte de R$ 2,2 bilhões no Orçamento de 2009. A crise financeira foi o argumento do Executivo e da base governista para fazer cortes em áreas como transporte (menos R$ 735 milhões) e habitação (menos R$ 45 milhões). As emendas parlamentares, porém, não terão reduzidas a cota de R$ 142 milhões reservada pelo governo. Os 55 vereadores da atual legislatura e os 16 novos que iniciam mandato em janeiro terão direito a uma emenda cada, conforme acordo com o prefeito da cidade, Gilberto Kassab (DEM).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.