Elo com lobista de Dantas é 'desconfortável', diz Jaques Wagner

Martins, citado na Operação Satiagraha, é ex-marido da primeira-dama da Bahia; banqueiro foi preso na ação

Tiágo Décimo, de O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2008 | 16h49

O governador baiano, Jaques Wagner (PT), afirma estar "desconfortável" com a proximidade com o lobista de Daniel Dantas, Guilherme Sodré Martins - a quem ele mesmo já se referiu como "melhor amigo". Martins, citado nas investigações que culminaram na Operação Satiagraha, da Polícia Federal, é ex-marido da primeira-dama do Estado, Fátima Mendonça, pai do único filho dela, e já causou outros "constrangimentos" ao governador.   Veja também: STF manda soltar Celso Pitta, Naji Nahas e mais nove Dantas ofereceu suborno de US$ 1 milhão para escapar da prisão, diz MP STF manda soltar Daniel Dantas e mais 10 presos da Satiagraha Leia a íntegra da decisão do STF que manda soltar Dantas  Você concorda: não há mais intocáveis no País  Entenda como funcionava o esquema criminoso  Veja as principais operações da PF desde 2003  Entenda o nome da Operação Satiagraha, que prendeu Dantas   O mais notório foi em novembro de 2006, quando o lobista pediu a lancha do empreiteiro Zuleido Veras - acusado de chefiar uma quadrilha de desvio de recursos públicos, descoberta pela PF - emprestada para que Wagner levasse a ministra Dilma Rousseff a um passeio pela Baía de Todos os Santos. Martins participou do passeio, segundo Wagner - confirmando que ele e Dilma se conheciam, como dizem as gravações telefônicas da PF.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação SatiagrahaJaques Wagner

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.