Ellen Gracie quer que CNJ discipline cartões na Justiça

A presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Ellen Gracie, quer que o CNJ seja o órgão responsável por disciplinar, e caso julgue necessário, suspender o uso dos cartões corporativos no âmbito do Judiciário, informou hoje o conselho. Gracie enviou hoje aos presidentes do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Rider Nogueira de Brito, e dos Superiores Tribunais de Justiça (STJ), ministro Raphael de Barros Monteiro Filho, e Militar (STM), ministro tenente brigadeiro-do-ar Henrique Marini e Souza, além dos Conselhos Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e da Justiça Federal e Tribunais de Justiça, um pedido de informações sobre o uso dos cartões nessas instituições. Deverão ser repassados ao CNJ dados como quantidade de cartões em uso, condições de uso autorizadas, nomes dos detentores, gastos individuais e totais efetuados e quais as medidas de controle do uso. Segundo ela, este é o primeiro passo para que o CNJ decida como proceder sobre o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.