Eli Lilly prepara remédio para distúrbio bipolar

O laboratório norte-americano Eli Lilly está apresentando nesta semana, no congresso anual da Associação Norte-Americana de Psiquiatria, na Filadélfia (EUA), os resultados de um estudo sobre a combinação dos princípios ativos Olanzapina e Fluoxetina, para o tratamento de distúrbio bipolar, nova denominação da psicose maníaco-depressiva.O dois em um deve ser submetido à Food and Drug Administration (FDA) - órgão regulador das áreas de saúde e alimentos nos Estados Unidos - no segundo semestre. As duas moléculas ativas, pesquisadas e desenvolvidas pelo laboratório, têm, combinadas, um efeito antidepressivo rápido e significativo em pacientes com distúrbio bipolar em períodos de depressão, informa o Eli Lilly. A Olanzapina é conhecida comercialmente como Zyprexa, e a Fluoxetina, como Prozac. A intenção do laboratório é que a nova droga seja indicada para o tratamento da depressão resistente e das fases de depressão dos acometidos por distúrbio bipolar. Segundo o laboratório, as pessoas com distúrbio bipolar tomam vários medicamentos, podendo sofrer efeitos colaterais graves, além de apresentar problemas de adesão à terapia. Para outros pacientes, o tratamento pode ser insuficiente para controlar a variação dos sintomas, especialmente a depressão, levando alguns à morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.