Eleitos receberam em média R$ 1,4 mi para bancar campanha

'Os Padrinhos', nova ferramenta do Estadão Dados, mostra quem foram os doadores e o total gasto pelos 1.621 candidatos vencedores nas eleições de 2014

Estadão Dados

29 de janeiro de 2015 | 12h38

São Paulo - O Estadão Dados lança nesta quinta-feira, 29, um novo infográfico interativo sobre as doações eleitorais da campanha de 2014. A ferramenta Os Padrinhos mostra quanto cada candidato eleito na eleição do ano passado gastou na sua campanha e quais foram os seus doadores. O total arrecadado por cada um dos 1.621 candidatos eleitos a deputados estaduais e federais, senadores, governadores e presidente foi de R$ 2,3 bilhões - ou seja, cada um recebeu R$ 1,4 milhão para bancar a sua campanha, em média.

Os dados estão apresentados em um tipo de gráfico chamado "treemap". Esse modelo de visualização é composto por vários retângulos cuja área é proporcional ao valor total arrecado por aquela categoria. Na primeira tela, por exemplo, é possível ver qual foi o cargo cujos candidatos eleitos mais arrecadaram no total. Ao clicar em um cargo específico, essa informação passa para um nível seguinte de profundidade. Entre governadores, por exemplo, é possível ver qual foi o que gastou mais na sua campanha, e, entre os deputados, quais partidos lideraram o ranking da arrecadação. O último nível mostra quais foram os doadores de cada candidato específico e quanto cada um contribuiu para aquela campanha.

Leia Também

Os Padrinhos

O Os Padrinhos faz parte do Atlas Político Estadão Dados, que foi lançado na semana passada. O portal reúne mais de uma dezena de ferramentas de jornalismo de dados que ajudam o cidadão a saber mais sobre política e eleição. Ele agrega em um único endereço mapas, infográficos interativos e textos que mostram, por exemplo, quais empresas financiaram as campanhas eleitorais de quais candidatos, como os parlamentares votam no Congresso, e as tendências da opinião pública. O Atlas e suas ferramentas terão atualização permanente de conteúdo e pretendem ser uma referência para acadêmicos, políticos e cidadãos.

*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.