Eleitor protesta contra políticos em portal da Câmara

Em pleno recesso, foi lançado nesta quarta um site dentro do portal e-Democracia para receber sugestões da população para a proposta final de reforma política que será elaborada em 90 dias.

EDUARDO BRESCIANI E DAIENE CARDOSO, Agência Estado

24 de julho de 2013 | 20h04

Até as 19 horas desta quarta-feira, no primeiro dia de funcionamento, 59 pessoas já tinham manifestado sua posição em mais de 206 mensagens, muitas com ataques ao Congresso e sugestões que passam longe do debate pretendido pelo grupo de trabalho.

"Redução de pelo menos 80% dos salários dos políticos brasileiros", propôs um dos eleitores. "Corte extremo nos benefícios abusivos dos políticos", afirmou outro. "Redução do número de deputados federais para 10", sugeriu um terceiro.

Em uma sessão de enquete da página, aparecem como temas mais votados a possibilidade de apresentação de propostas de emendas à Constituição por meio de iniciativa popular, a simplificação da apresentação deste tipo de projeto, o fim de regalias como cota parlamentar e o afastamento do cargo para pessoas sob investigação por crime de improbidade e corrupção. Temas como financiamento igualitário para os candidatos e assembleia constituinte para a reforma política apareciam entre os menos votados.

Na apresentação do site, o deputado Cândido Vaccarezza ressaltou que não vai basear os trabalhos em ideias que já deram errado no passado. O coordenador do grupo da Câmara que debaterá a reforma política afirmou que os deputados vão ouvir as propostas da sociedade e anunciou que consultará as presidências da Câmara e do Senado para "acelerar" o processo no Congresso "sem comprometer a qualidade da proposta".

O lançamento do portal é uma tentativa de aproximar a sociedade do debate. Para participar, o eleitor terá de se cadastrar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.