Eleitor em MG pode estar fazendo confusão, diz Pimenta

O candidato do PSDB ao governo de Minas Gerais, Pimenta da Veiga, insinuou nesta quarta-feira que a diferença dele para o candidato líder nas pesquisas do Estado, ex-ministro Fernando Pimentel (PT), pode estar ligada à confusão entre os nomes de ambos pelos eleitores. "Estou preocupado porque muita gente manifesta a confusão. Quem quiser votar no candidato que prega a continuidade do governo, vota em Pimenta da Veiga. Quem quiser votar com os problemas da Petrobras, a recessão, os juros altos, deve votar no candidato do PT, que tem um nome parecido", disse o candidato tucano ao chegar ao aeroporto de Uberaba, onde deve participar de eventos de campanha com o senador Aécio Neves, candidato à Presidência pelo partido.

GUSTAVO PORTO, ENVIADO ESPECIAL, Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2014 | 12h33

Pesquisa Ibope divulgada ontem mostra Pimentel com 44% das intenções de voto, contra 25% de Pimenta e 4% de Tarcísio Delgado (PSB). Pimenta admitiu que houve uma lentidão para o começo da campanha por parte de seus correligionários de Minas Gerais, mas avaliou que o empenho dos tucanos nos últimos dez dias pode reverter o quadro desfavorável ao PSDB no Estado. Pimenta lembrou que Aécio "sempre teve entre 70% e 80% dos votos em Minas Gerais" e que o crescimento no Estado poderia fazê-lo ir ao segundo turno contra a candidata Dilma Rousseff (PT). Pesquisa Ibope/Estadão/TV Globo divulgada ontem mostra Dilma com 38% das intenções de voto, Marina Silva (PSB) com 29% e Aécio com 19%.

Se o candidato tucano evitou dizer o nome do adversário ao falar sobre a confusão de nomes, ele mencionou nominalmente Pimentel ao comentar a ausência do petista em debates na televisão. "Espero que Pimentel pare de fugir e compareça nos dois últimos debates", afirmou o tucano. De acordo com o calendário, ainda faltam dois debates no Estado. Um na sexta-feira, organizado pela Rede Record, e outro na terça-feira, da Rede Globo.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesMGPimenta da Veiga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.