JF Diorio/AE
JF Diorio/AE

Eleitor cobra Russomanno de ter votado contra a Ficha Limpa

Candidato do PRB garante que votou pelo endurecimento da lei e chamou imprensa de mentirosa

Ricardo Chapola, de O Estado de S. Paulo

21 de setembro de 2012 | 23h20

O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, foi cobrado nesta sexta-feira, 21, por um eleitor para se explicar em relação à notícia que circula nas redes sociais de que teria votado, quando foi deputado federal, contra a Lei da Ficha Limpa. A informação repercutiu na internet num viral que trazia os "33 motivos para não votar em Russomanno".

O administrador de empresas Sulimar Aderno Abreu, de 45 anos, abordou o candidato dentro de uma loja de roupas de cama do shopping Interlagos, na zona sul da capital, local onde Russomanno cumpria agenda pública. "Você votou contra o Ficha Limpa", acusou Abreu, quando o candidato do PRB foi cumprimentá-lo. Abreu disse a Russomanno que tinha respeito a ele, mas que depois das notícias veiculadas pela mídia, reveria seu conceito e também seu voto.

Durante a tramitação do projeto da Lei da Ficha Limpa, em 2010, parlamentares do PP, partido ao qual Russomanno foi filiado até o ano passado, votaram a favor de dois destaques que poderiam desfigurar o texto principal, segundo defensores da proposta. O primeiro destaque pretendia retirar do PL o período em que o político se tornaria inelegível por compra de votos ou abuso de poder econômico - a lei aprovada fixou prazo de oito anos. O outro pedia a retirada da principal característica do projeto: tornar inelegível o candidato condenado por órgão colegiado judicial. Ambos foram derrubados pela maioria dos parlamentares.

Provocado, o candidato gastou 10 minutos numa discussão com o eleitor tentando convencê-lo de que tinha votado para endurecer a lei e de que ele vem sendo alvo de mentiras porque está em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto. Na resposta, Russomanno disse que Abreu não tinha conhecimento sobre o assunto e que a imprensa é mentirosa sobre o que é publicado a seu respeito. "Isto é falta de conhecimento seu. Eu votei para deixar a lei mais dura", disse Russomanno. A mídia está mentindo. Estão usando isto porque estou em primeiro nas pesquisas".

Pouco depois, já fora da loja, Russomanno acionou sua assessoria para mostrar a Abreu um vídeo publicado na internet pelo perfil do próprio candidato de uma conversa que teve com o deputado federal Nelson Marquezelli (PTB-SP), na qual o parlamentar parabeniza Russomanno por ser "baluarte" da Lei da Ficha Limpa.

O candidato ainda reforçou: "Eu queria que ela (a Lei da Ficha Limpa) fosse melhor, muito mais dura. Como eu sou formado em direito, eu queria que a lei não tivesse discussão nenhuma". O eleitor não reagiu aos argumentos de Russomanno. Cercado pela equipe de filmagem e de fotógrafos da campanha, Abreu disse que tinha se convencido e prometeu votar em Russomanno no dia 7 de outubro. "Meu voto é seu. Você me convenceu. E eu acredito em você. Eu acredito numa pessoa que sempre lutou pelos pobres. Faça com que esse povo sinta orgulho de você, porque você merece", declarou ao candidato, abraçando-o e posando para fotos.

Para a imprensa, Abreu afirmou não ter se convencido totalmente, mas voltou a dizer que votaria em Russomanno. "Me convenci mais ou menos. Eu sou um cara muito crítico. Minha concepção era de que ele (Celso Russomanno) fosse um cara justo", afirmou o administrador. "Ele tem potencial grande, mas ele tem que provar isso não só para mim".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.