Estadão
Estadão

Eleições suplementares no Amazonas seguem dentro da normalidade

Eleitores escolhem neste domingo quem irá governar o Estado para um mandato-tampão de 14 meses; disputa em segundo turno ocorre entre Amazonino Mendes (PSD) e Eduardo Braga (PMDB)

Renata Magnenti, Especial para o Estado

27 Agosto 2017 | 16h43


Em entrevista coletiva no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), as policiais do Estado informaram que a votação da eleição suplementar segue, neste domingo, 27, dentro da normalidade. Segundo a Polícia Civil (PC), apenas cinco ocorrências foram registradas e estão sendo apuradas.

No município de Presidente Figueiredo, a 107 km de Manaus, a polícia investiga a suspeita de distribuição de requisições de combustíveis. Até as 14h ninguém havia sido preso. Em Novo Airipuanã (225 km da capital), foi registrada ocorrência de transporte irregular e boca de urna.

Em Itacoatiara, a 270 km de Manaus, a polícia registrou uma briga entre integrantes de coligações adversárias, com lesão corporal. Nos municípios de Itapiranga e Maraã houve , respectivamente, ocorrências de desobediência e descumprimento da Lei Seca.

Segundo a Polícia Civil, todos os inquéritos deverão ser encaminhados a Polícia Federal.

Mandato tampão. Os eleitores do Amazonas decidem neste domingo, 27, quem será o novo governador do Estado. Os amazonenses terão que decidir qual o novo titular do Palácio Rio Negro, vaga aberta desde a confirmação da cassação do então governador José Melo (PROS) e seu vice Henrique Oliveira (SD), em maio. Na disputa, estão os ex-governadores Amazonino Mendes (PDT) e Eduardo Braga (PMDB). Quem vencer exercerá um mandato-tampão de 14 meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.