Eleições propiciam onda de denúncias, diz Mercadante

O senador Aloizio Mercadante (PT-SP), atribuiu as recentes denúncias contra os presidentes do Banco Central, Henrique Meirelles, e do Banco do Brasil, Cássio Casseb, à aproximação das eleições municipais. De acordo com o senador, os candidatos do partido do governo apresentam desempenho bastante favorável, o que justificaria uma onda de denúncias. Mercadante ressaltou, no entanto, estar seguro de que, nos dois casos, ficará comprovado que não há problemas que inviabilizem o trabalho de Meirelles e Casseb.Em relação ao presidente do Banco Central, Mercadante afirmou que Meirelles faz um excelente trabalho na entidade. A economia cresceu 4,7% em 12 meses e foram criados mais de um milhão de empregos no semestre, número acima do que qualquer registrado em um ano no governo Fernando Henrique Cardoso."Meirelles é um empresário de grande êxito no mercado financeiro. Se houver alguma pendência com a Receita, tenho certeza que tudo será corrigido. Ele tem fontes de recurso de origem conhecida e tudo o que tenha sido feito eventualmente foi anterior à sua participação no governo, o que não prejudica e nem interfere no desempenho do Banco Central", ressaltou, após participar da demonstração ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva do modelo de plataforma de exportação de serviço de tecnologia da informação desenvolvido pela HP.Sobre Casseb, Mercadante afirmou que não há nada que desabone o presidente do BB no exercício da profissão. "Tenho certeza que, do ponto de vista da vida pessoal, os dois saberão esclarecer e resolver qualquer tipo de pendência que possa haver com a Receita."Na avaliação do senador, faz parte da democracia a investigação sobre a vida de homens públicos, sempre expostos a cobranças de transparências. "Mas estamos às vésperas das eleições municipais", reiterou.Mercadante cobrou da oposição uma participação nas novas questões do debate econômico do País. "O debate agora é sobre sustentabilidade do crescimento que estamos registrando. E a oposição deveria apresentar as alternativas que achar viáveis", finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.