Eleições em Recife devem ter disputa acirrada até o fim

Líder da corrida de acordo com a pesquisa Ibope, Mendonça Filho diz que não comentará pesquisas eleitorais

Monica Bernardes, de O Estado de S. Paulo,

20 de julho de 2008 | 17h43

Em Recife, os números da pesquisa Ibope foram recebidos com cautela pelos postulantes. O líder da pesquisa, o ex-governador Mendonça Filho (DEM), afirmou através da assessoria de imprensa que "assim como fez em 2006, quando disputou a reeleição do governo estadual, não comentará nenhuma pesquisa durante a campanha para a Prefeitura do Recife". Nos bastidores, no entanto, os aliados do democrata comemoraram. Sem o apoio do ex-governador e atual senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), de quem foi vice-governador por mais de seis anos, a candidatura de Mendonça sofreu com vários rumores sobre uma possível desistência.   Veja também: Ibope dá 34% a Marta e 31% a Alckmin na corrida em S. Paulo Candidato apoiado por PSDB e PT aparece em 3º em BH Ibope aponta Crivella na frente, com 23%, para prefeito do Rio Mendonça Neto lidera corrida no Recife com 30% Pesquisa Ibope - São Paulo  Pesquisa Ibope - Recife Pesquisa Ibope - Belo Horizonte  Pesquisa Ibope - Rio de Janeiro    De acordo com o levantamento, contratado pelo jornal O Estado de São Paulo e pela TV Globo, Mendonça Filho aparece na liderança, com 30% das preferências. Ele é seguido pelo deputado federal e ex-aliado, Carlos Cadoca (PSC), com 22% e pelo deputado estadual João da Costa (PT), com 20%, em empate técnico. A quarta posição na preferência dos eleitores recifenses é ocupado pelo também deputado federal Raul Henry (PMDB), com 7% das intenções de voto. Em seguida estão Edílson Silva (PSOL) e Kátia Telles (PSTU), cada um com 1%. Roberto Numeriano (PCB) não pontuou. Foram registrados ainda 12% de branco/ nulo, enquanto que 6% não opinaram. Também ex-colaborador do governo jarbista, Carlos Eduardo Cadoca não escondeu o entusiasmo. Fundador do PMDB pernambucano, Cadoca rompeu com o partido - e aliados de décadas - para bancar o projeto solo, depois de ter sido preterido pela legenda. Sem padrinhos influentes, ele vive um momento inusitado. "Claro que sabemos que uma pesquisa, de forma isolada, reflete apenas um momento. Mas que é positivo estar onde estamos é claro que é. Estamos mostrando que nossa candidatura não precisa de padrinhos", destacou. O candidato petista João da Costa - que tem como principal padrinho político o atual prefeito da cidade, João Paulo Lima e Silva (PT) - atribuiu o terceiro lugar na pesquisa "ao clima morno da campanha". "Quando eu estava com 3% nas pesquisas, antes do início da campanha optei por não fazer comentários. Mas hoje, com 20% da intenção de votos, acho que é hora de falar. A campanha está apenas começando. Esta pesquisa serviu para mostrar que estamos no rumo certo", afirmou. Raul Henry - quarto colocado - minimizou o resultado da pesquisa. "Quando o guia eleitoral começar vamos reverter esses números rapidamente. Estamos confiantes e trabalharemos duro, todos os dias, para chegar à vitória", sentenciou. Mais importante cabo eleitoral do peemedebista, o senador Jarbas Vasconcelos continua dando o ritmo da campanha. Ontem, durante toda a manhã, acompanhou Henry em caminhadas por comunidades carentes do Recife.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2008Recife

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.