Eleições 2012: Para Serra, PT devastará saúde de SP

O candidato do PSDB, José Serra, manteve o tom crítico a seu adversário na campanha à Prefeitura de São Paulo. Hoje, durante o evento das mulheres do PTB, em São Paulo, Serra voltou a atacar o programa de governo do candidato do PT, Fernando Haddad. "De todo o programa do PT, a pior parte são as ideias alucinadas (...). O PT vai fazer uma devastação na área da saúde em São Paulo", disse o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo a jornalistas após participar do encontro.

SUZANA INHESTA, Agência Estado

20 de outubro de 2012 | 13h56

Serra voltou a falar do que classificou como "ameaça" do PT de "expulsar" as entidades parceiras da saúde em São Paulo, como os hospitais Santa Marcelina, Santa Catarina, Santa Casa, além de profissionais da Universidade Federal de São Paulo.

O tucano também disse que no programa do PT não existe nenhuma menção à palavra gestante e gravidez. "É um programa terceirizado que foi escrito por um pessoal que não tem conhecimento", avaliou. "O pior aspecto da gestão do PT em governos - aqui em São Paulo e federal - é educação e saúde. Então o risco que se corre agora é muito grande", completou.

Além da área da saúde, Serra também fez críticas ao PT em questão ética. "Não há ataques a mim no que se refere à ética ou à moral. Eles (PT) que estão acostumados a mentir", disse. O candidato do PSDB ainda se defendeu dizendo que saiu da Prefeitura de São Paulo para o governo do Estado porque o governo do Estado iria "cair nas mãos" do PT. "E novamente quebrar o Estado como fizeram com a Prefeitura", afirmou.

Serra continuou a questionar a credibilidade das pesquisas eleitorais, dizendo que elas são precárias. Mas disse seguir confiante pelo que ele está encontrando nas ruas, com o acolhimento das pessoas, e também acredita no que mostram as pesquisas feitas pelo PSDB.

Saúde

Dentre as propostas na área de saúde está a ampliação do programa Mãe Paulistana, com acompanhamento telefônico para todas as grávidas e também da evolução da criança nos três primeiros anos de vida - ampliando o prazo atual que é de um ano. Outra promessa é ter um médico ginecologista em cada uma das unidades básicas de saúde da cidade. Para tanto, seria necessária a contratação de mais 500 especialistas.

No evento, estavam presentes a primeira-dama de São Paulo, Lu Alckmin, o presidente do PTB, Campos Machado, sua mulher, Marlene Campos Machado, que é presidente do grupo das mulheres do partido, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), o ex-candidato a vice-prefeito de São Paulo pelo PTB Flávio D''Urso e o secretário do Meio Ambiente do Estado, Eduardo Jorge.

Embora tenha sido um evento para mulheres, a esposa de José Serra, Mônica, não esteve presente, porque quebrou o braço em acidente doméstico. Serra foi ovacionado pelas mulheres do evento e segue agora para Itaquera (zona leste) onde fará caminhada nas ruas do bairro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.