PEDRO VENCESLAU/ESTADAO
PEDRO VENCESLAU/ESTADAO

'Eleição no Amazonas foi ignorada pelo Brasil', diz Rebecca Garcia, candidata do PP

Amazonas deve escolher no domingo, 6, novo governador por um mandato de um ano e meio

Pedro Venceslau, ENVIADO ESPECIAL, O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2017 | 16h21

PARINTINS - Candidata do PP na eleição suplementar para o governo do Amazonas, que ocorre neste domingo, 6, a ex-deputada Rebecca Garcia lamenta que o pleito tenha sido ignorado pelas principais lideranças políticas do País. "A eleição no Amazonas foi ignorada pelo Brasil. Não perceberam que se trata de uma prévia para 2018", disse a candidata ao Estadão/Broadcast.

Dos presidenciáveis que se apresentam hoje para disputar as eleições de 2018, apenas Marina Silva visitou o Estado para ajudar o candidato da Rede. A única liderança importante que participou da campanha foi a senadora Gleisi Hoffmann, presidente do PT, que participou de eventos com o candidato da sigla, José Ricardo.

A candidata do PP avalia que o isolamento político do Estado favorecerá em 2018 uma eventual candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva. O ex-presidente venceu com folga no Amazonas as duas eleições que disputou. O mesmo aconteceu com Dilma Rousseff. "A imprensa nacional está muito afastada do Estado. O interior é muito isolado. Isso explica a força de Lula na região. Mas também tem o programa Luz para Todos, que mudou, de fato, a região. Além disso, toda vez que Lula ia a Venezuela parava em Manaus e comia um tambaqui. Temos que aprender muito com ele", afirmou.

Participam da disputa oito candidatos. Os favoritos são o ex-governador Eduardo Braga (PMDB), o ex-governador Amazonino Mendes (PDT) e Rebecca Garcia. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.