Eleição em Cuiabá começa sem favorito

A votação neste segundo turno em Cuiabá (MT) começa em um clima de tensão e apreensão, sem favorito. A última pesquisa do Ibope divulgada no sábado à noite mostra empate entre os dois candidatos que disputam a prefeitura de Cuiabá, Lúdio Cabral (PT) e Mauro Mendes (PSB). Considerando os votos válidos, Lúdio tem 50% e Mauro, os mesmos 50%. A pesquisa foi realizada entre 24 e 27 de outubro. Foram entrevistadas 602 pessoas na cidade de Cuiabá.

FÁTIMA LESSA, Agência Estado

28 de outubro de 2012 | 13h09

A pesquisa estimulada também apontou empate: Mauro tem 46% das intenções de voto e Lúdio Cabral outros 46%. O levantamento está registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), sob o número 00707/2012, e foi encomendado pela TVCA, repetidora da Rede Globo.

Compra de votos

A Ouvidoria do Tribunal Regional Eleitoral e Cuiabá informou que a compra de votos representou 60% das 816 denúncias e reclamações gerais recebidas neste segundo turno. No primeiro turno, o serviço registrou mais de 700 denúncias.

Em razão disso, a segurança nas proximidades e nos locais de votação foi reforçada. Segundo o Gabinete de Gestão Integrada (GGI), estão nas ruas 1,2 mil policiais militares. Eles farão monitoramento das 162 seções eleitorais na capital. O objetivo é garantir a segurança e tentar evitar qualquer prática de crimes eleitorais.

Ainda de acordo com o GGI, nove equipes da Polícia Federal estão em diversos pontos de Cuiabá com câmaras fotográficas e filmadoras. A fiscalização tem ainda apoio das 76 câmeras de segurança do Centro Integrado de Operações e Segurança Pública (Ciosp).

Plantão

Durante todo o domingo, o serviço de disque-denúncia oferecido pelo Tribunal através do número 0800-6478191 estará funcionando. As denúncias são recebidas e encaminhadas para as autoridades competentes, como a Polícia Federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.