ELEIÇÃO-Disputa pela imagem de Lula opõe aliados em Salvador

O direito de usar a imagem dopresidente Luiz Inácio Lula da Silva no horário eleitoralgratuito opõe forças políticas que estiveram unidas em Salvadore que integram a base aliada do governo federal. Coligados no início da atual administração da capitalbaiana e agora competindo pelos mesmos eleitores, PMDB e PTtravam disputa legal para utilizar a imagem de Lula durante acampanha na TV. "O que houve foi um pedido de liminar para que a imagem dopresidente não fosse utilizada pela coligação Força do Brasilem Salvador", disse o publicitário Maurício Carvalho,coordenador da campanha do atual prefeito João Henrique (PMDB),que une mais oito partidos e tem 9 minutos e 27 segundos deprograma, o maior no horário eleitoral. "Essa liminar foi indeferida pelo TRE, o que considerojusto, porque a imagem de um presidente da República não podeser exclusividade de partido algum", acrescentou Carvalho,afirmando que a parceria entre o prefeito e o governo dopresidente Lula será exibida na campanha do candidato, "com ousem a imagem do presidente." Carvalho não antecipa como será o primeiro programa que iráao ar na próxima terça-feira, mas deixa uma pista de como vaiatuar. "De nossa parte, vamos democratizar as informações quecaptamos sobre esses 3 anos e 8 meses de gestão do prefeitoJoão Henrique para que as pessoas entendam o que estáacontecendo com a cidade. Acreditamos na inteligência doeleitor." HORA DE APRESENTAÇÃO Já o publicitário Sidônio Palmeira, coordenador demarketing da coligação "Salvador, Bahia, Brasil", que reúne PT,PSB, PC do B e PV, não faz segredo sobre seu primeiro programa. "Vamos apresentar o candidato Walter Pinheiro, que nasceunum bairro popular de Salvador, participou da fundação do PT,foi eleito deputado nota 10 e é vice-líder do governo noCongresso". Com tempo de 7 minutos e 18 segundos, Palmeira estima quelogo na primeira semana o seu candidato deverá subir pelo menosmais três pontos percentuais, alcançando a casa dos 13 porcento das intenções de voto. "Exatamente como ocorreu com Jaques Wagner, em 2006",previu, aludindo à campanha do atual governador da Bahia, quetambém coordenou. "Hoje, 55 por cento da população de Salvador ainda nãoconhece Walter Pinheiro", admite Palmeira. "E isso não é ruim,pois ele representa o novo". O publicitário acredita que nohorário eleitoral gratuito o eleitor identificará facilmente arelação de Pinheiro com Wagner e com o presidente Lula. Líder nas últimas pesquisas, o deputado ACM Neto (DEM)espera consolidar a intenção de voto dos eleitores no horárioeleitoral. BIG BROTHER "Para ACM Neto, que está fazendo uma campanha em cima depropostas para transformar Salvador, é o momento de consolidara estratégia da pré-campanha", afirmou o coordenador decomunicação e marketing da campanha, Pascoal Gomes. A coligação "A Força do Povo" (DEM e PR) dispõe de 5minutos e 42 segundos para apresentar seu programa. "Vai ser focado nas propostas de Neto, como a criação daSecretaria de Prevenção à Violência, que abrigará o Big BrotherBairro, sistema de videomonitoramento para coibir acriminalidade, e a criação de um Terceiro Centro para a cidade,na região do Subúrbio Ferroviário", descreve Pascoal. ACM Neto é considerado o herdeiro político natural dosenador Antonio Carlos Magalhães, mas seus adversários o temacusado de evitar citar o nome do avô, principalmente nosdebates. Questionado se esta é uma orientação do marketing e se acampanha pretende omitir a descendência, Pascoal responde com amesma objetividade: "ACM está na biografia e no nome de Neto,logo estará também no programa". Para Alessandra Augusta, que comanda a campanha do tucanoAntonio Imbassahy, o horário eleitoral gratuito será o momentode "trazer para a tela o carinho e a consideração" que apopulação tem pelo candidato. "Imbassahy é, sobretudo, um candidato autêntico,não-fabricado. Tem história, tem o que mostrar e comprovadacapacidade de realização", afirma, destacando que em suas duasadministrações o tucano foi escolhido três vezes o melhorprefeito do Brasil, em pesquisas do Datafolha. A coligação "Pra Melhorar Salvador" é formada por PSDB,partido de Imbassahy, e pelo PPS, partido do candidato a vice,Miguel Kertzman, e conseguiu o quarto tempo de TV, com 5minutos e 26 segundos. A campanha da Frente de Esquerda Socialista (PSTU, PSOL ePCB), que tem como candidato o historiador Hilton Coelho, vaiusar seus 2 minutos e sete segundos para "dizer a verdade sobrea subordinação da prefeitura de Salvador aos interesses dosetor privado", afirma o próprio Coelho. (Edição de Mair Pena Neto)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.