Eleição de diretório petista no MS supera denúncias

Corre hoje tranqüila a votação para escolha dos presidentes de diretório estadual e municipais do PT no Mato Grosso do Sul. Com isso, não se confirmam os temores de que o pleito fosse comprometido por denúncias como as de compra de votos contra o candidato ao diretório regional do partido, Vander Loubet, sobrinho do governador Zeca do PT. O candidato, secretário estadual de Meio Ambiente Egon Krakhecke, teve o número de registro trocado de 55 para 45, mas hoje o problema foi resolvido.Em Dourados, a segunda maior cidade do Estado, a votação está sendo realizada manualmente. Uma urna eletrônica que deveria ser utilizada não tinha o nome do candidato Mário Urchei, com o número 17. Urchei desistiu de participar e está apoiando o vereador Elias Ishy, que passou a usar o mesmo número 17. O pedido de impugnação da urna foi apresentado pelos filiados Julio Cesar Ocampos e Vander Nishijima. Segundo o presidente do Diretório Municipal do PT, professor Ênio Ribeiro de Oliveira, a comissão eleitoral acatou o pedido de impugnação e comunicou a irregularidade ao Diretório regional. "Agora vamos coletar os votos pelas cédulas e informar o resultado para o Regional. Quem vai decidir se o processo é válido ou não são eles", disse Ênio. Em Dourados, existem cerca de 950 filiados em condições de voto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.