Eleição de 2006 não atrapalhará prioridades do governo, diz Lula

Em discurso durante almoço de confraternização com oficiais generais do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que não vai permitir que as eleições de 2006 atrapalhem as prioridades do governo, que são desenvolvimento, crescimento econômico, geração de emprego e distribuição de renda. "Não vamos permitir que as eleições de 2006 sejam a prioridade número 1 do governo, como já aconteceu em outros momentos históricos do Brasil, em que jogamos oportunidades fora, por conta de eleições", disse Lula, quando improvisou em seu discurso. "Nós, desta vez, não vamos jogar fora esta oportunidade, porque achamos que o povo brasileiro não merece outra frustração", acrescentou. Para Lula, o povo brasileiro precisa definitivamente agarrar esta chance para levar o Brasil ao "rol dos países desenvolvidos". As declarações do presidente foram feitas um dia depois da manifestação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, contra o atual governo. Lula disse que pode afirmar de forma muito orgulhosa que o Brasil reencontrou o seu caminho. E disse que está otimista. "Olho para o ano de 2005 e vejo um mar de almirante, mais tranqüilo do que tivemos este ano. Olho o céu e vejo céu de brigadeiro, muito mais tranqüilo do que este ano, e para todo lado que olho sinto que há esperança e otimismo", afirmou Lula, que defendeu a necessidade de união nacional para que se chegue a esse desenvolvimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.