'El País' diz que 'hora da verdade' para Dilma chegará após auditoria da Copa e das Olimpíadas

Jornal espanhol publica uma análise de 10 meses de governo Dilma

16 de outubro de 2011 | 17h35

O jornal espanhol 'El País' traz neste domingo, 16, uma reportagem com o balanço dos 10 meses do governo Dilma e diz que a hora da verdade vai chegar com as auditorias das contas das Olimpíadas e da Copa do Mundo no Brasil. Referindo-se à ela como superpresidenta, a publicação cita a demissão dos ministros envolvidos em casos de corrupção e a luta travada por Dilma pela reforma administrativa do País.

Segundo o 'El País', a princípio Dilma era uma incógnita e estava muito associada à imagem de seu antecessor, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Pouco sentimental e nada sorridente, segundo o El País, Dilma parecia uma gestora que precisaria de ajuda para permanecer no poder.

A reportagem destaca ainda que, passados os 10 meses de governo, Dilma teria conseguido o que parecia impossível: sem mudar seu estilo, sério e nada complacente, Dilma conseguiu 71% de popularidade e não há dúvidas que agora quem manda é ela.

Além de citar os casos de corrupção envolvendo ministros de sua gestão, o jornal diz que a presidente se aproximou dos Estados Unidos, mudou a política sobre o Irã e paralisou a compra dos caças para a modernização da Força Aérea Brasileira, um projeto de Lula.

O estilo independente de Dilma governar recebeu apoio até mesmo da oposição, segundo o 'El País'. Apesar de a derrota de José Serra para Dilma, o que descompôs a oposição como um todo, o jornal destaca a aproximação, mesmo que discreta, de Dilma como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.