Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Após triagem, Eike é transferido para Bangu

Dois ex-detentos disseram que ele foi encaminhado a uma cela especial no Presídio Ary Franco, onde passou por triagem

Fernanda Nunes e Mariana Sallowicz, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2017 | 13h28

RIO - O empresário Eike Batista deixou na tarde desta segunda-feira, 30, o Presídio Ary Franco, em Água Santa, na zona norte do Rio, e ficará preso numa unidade do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, zona oeste. 

Na triagem, o ex-bilionário foi levado para uma cela individual. Ele teve a cabeça raspada e ficou separado dos outros presos. Mas, conforme o Broadcast informou mais cedo, o empresário seria transferido por questão de segurança.

Eike desembarcou no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, o Galeão, pouco antes das 10h desta segunda-feira, vindo de Nova York. Ele foi levado até a sede do Instituto Médico Legal, no centro da capital fluminense, para exame de corpo de delito, e deixou o local com escolta policial já em direção ao presídio.

A chegada do empresário interrompeu temporariamente as visitas das famílias aos detentos no Presídio Ary Franco. Parentes dos presos que esperavam por horas na fila ficaram contrariados.

Dois ex-detentos, que deixavam o presídio no momento em que Eike chegou, disseram que o ex-bilionário foi encaminhado a uma cela especial, sem vaso sanitário, apenas um buraco no chão. O fato causou revolta nos presidiários que convivem com a superlotação das celas. "Não tem comida. A gente dá duas colheradas e a comida acaba. Não tem lanche e o jantar é servido as quatro da tarde. Depois a gente passa fome", contou Maicon Arraes, que deixou o Ary Franco após 16 dias de prisão.

Testemunhas disseram que Eike Batista já teve a cabeça raspada, procedimento padrão para quem entra no sistema prisional.

O empresário deve ser transferido de presídio por questões de segurança, o que está sendo decidido pelo juiz Marcelo Bretas, que decretou a prisão de Eike e de outros oito acusados de participação num esquema de corrupção montado pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral.

O diretor de secretaria da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, Fernando Pombal, esteve com o diretor da penitenciária se certificando da segurança de Eike e visitou a cela em que o empresário ficaria preso. O nome do presídio para o qual deve ir, no entanto, ainda não foi revelado. 

Uma fonte informou ao Broadcast que a própria Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) entendeu que o empresário deve ir para um lugar mais seguro que o Ary Franco. A unidade está superlotada e já teve recomendação de ser fechada pela ONU, em 2012. O Subcomitê de Prevenção à Tortura (SPT) das Nações Unidas destacou em relatório casos de celas infestadas de baratas e outros insetos, além de problemas nos sistemas de esgoto e superlotação. 

Os outros detidos nos desdobramentos da Lava Jato no Rio, como o ex-governador Cabral, foram encaminhados para Bangu 8 por terem diploma universitário, mas Eike não concluiu sua formação em engenharia. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.