Eduardo Paes chega ao PMDB-RJ como pré-candidato

Em meio a um tumulto provocado por militantes ligados ao ex-governador Anthony Garotinho, o ex-deputado Eduardo Paes, que ocupava a secretaria-geral do PSDB, formalizou ontem sua filiação ao PMDB. Paes chega ao partido pelas mãos do governador Sérgio Cabral Filho, e como pré-candidato à Prefeitura do Rio. Isso contraria o acordo fechado por Garotinho, presidente regional da legenda, com o prefeito Cesar Maia para dar ao DEM a cabeça-de-chapa na eleição do ano que vem.Paes, secretário estadual de Esportes e Turismo, chegou com Cabral ao Diretório Regional do PMDB, no centro do Rio, sob aplausos e vaias. Integrantes do núcleo jovem do PMDB - liderado pela filha de Garotinho, Clarissa Matheus - faziam muito barulho, gritando palavras de ordem. ?Eduardo, vai para o PT e leva o Cabral com você?, repetiam. O grupo de Paes respondia com vaias e gritava o nome do secretário. ?Perderam a boquinha?, revidava.Enquanto isso, Paes, o governador e o senador Paulo Duque (RJ) fizeram rápidos discursos. Cabral afirmou que a filiação ampliará as alianças do PMDB do Rio e reforçará a aproximação com o presidente Lula. O ex-tucano disse que não se sentirá desconfortável se tiver Lula em seu palanque caso concorra à prefeitura. Em 2005, o então deputado foi um dos mais atuantes da CPI dos Correios, que investigou o escândalo do mensalão, e apontava a formação de quadrilha no governo.No discurso, Paes disse que chega ao PMDB ?com humildade? e disposto a seguir o caminho definido pela sigla, seja a aliança com o DEM ou a candidatura própria. Além dele, o deputado Marcelo Itagiba (RJ) postula a cabeça-de-chapa. Paes negou que sua saída do PSDB tenha causado mal-estar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.