Eduardo Leite/Twitter
Eduardo Leite/Twitter

Eduardo Leite omite Aécio Neves de reunião, é criticado e se explica

O ex-governador gaúcho registrou o encontro com Paulinho da Força sem citar a presença de Aécio; depois, explicou que o próprio correligionário enviou a imagem que foi publicada

Davi Medeiros, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2022 | 08h31
Atualizado 19 de abril de 2022 | 12h27

O ex-governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB) cortou o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) de uma foto publicada nas redes sociais, gerando grande repercussão na rede. O parlamentar mineiro compareceu ao encontro do gaúcho com o presidente nacional do Solidariedade, o deputado Paulinho da Força, nesta segunda-feira, 18, e posou ao lado de ambos em imagem compartilhada pelo líder da Força Sindical. Na foto que Leite postou para registrar o encontro, porém, Aécio não aparece. 

Aécio, que foi candidato à Presidência em 2014, foi um dos articuladores do encontro e é um dos principais apoiadores de Leite na disputa interna do PSDB. O deputado integra a ala do partido que se opõe à pré-candidatura de João Doria, ex-governador de São Paulo. O deputado já criticou publicamente o paulista, alegando que não o considera capaz de "aglutinar" apoio ao projeto tucano.

Nesta terça-feira, 19, os nomes de Aécio, Leite e Paulinho da Força amanheceram entre os assuntos mais comentados do Twitter. Usuários questionam o ex-governador sobre o que o levou a cortar o correligionário da foto. 

Depois de ser cobrado pelos seguidores, Eduardo Leite voltou ao Twitter na manhã desta terça-feira e reagiu à polêmica. Afirmou que o próprio Aécio o enviou a imagem já cortada. Segundo ele, "por entender que o relevante era destacar a conversa com o líder de um importante partido". O gaúcho ainda classificou o correligionário como um "grande parceiro" e agradeceu o apoio de Aécio.

O encontro da segunda-feira se deu após Paulinho da Força ser vaiado em ato com sindicalistas do PT. Militantes do partido guardam ressentimento por ele ter dado voto favorável ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016. Enquanto Luiz Inácio Lula da Silva e Gleisi Hoffmann tentam “fazer as pazes” com o deputado, Aécio busca atraí-lo para a ‘campanha paralela’ de Eduardo Leite. Paulinho da Força declarou apoio à candidatura de Aécio contra Dilma Rousseff em 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.