Eduardo Jorge terá acesso a investigação da Receita

A Justiça obrigou hoje a Receita Federal a entregar ao vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge Caldas Pereira, todas as peças da auditoria que o órgão realiza para apurar o vazamento do sigilo fiscal do tucano. Os dados de Eduardo Jorge foram acessados sem motivação e podem ter abastecido um suposto dossiê levantado pelo "grupo de inteligência" da pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. O objetivo, segundo queixa-crime feita pelo PSDB, seria atingir a candidatura do tucano José Serra.

VANNILDO MENDES, Agência Estado

24 de agosto de 2010 | 19h53

No despacho, o juiz Antônio Cláudio Macedo da Silva, da 8ª Vara Federal, compara a via crúcis do tucano para ter acesso à investigação à obra "O Processo", de Kafka, no qual o personagem Joseph K é levado certa manhã a um tribunal por um crime que desconhece. "Que Estado é esse que, de um lado, reconhece a ocorrência da quebra de sigilo no âmbito da própria administração, mas, ao mesmo tempo, nega ao interessado vista do processo instaurado para apurá-la", indagou o magistrado.

Segundo o juiz, fica evidente "uma relação promíscua entre alguns setores da administração pública com extratos da imprensa, no qual se veiculam informações protegidas por sigilo legal sem que se saiba a autoria da quebra". Ele ironizou o fato de o processo de apuração do delito ser sigiloso hoje apenas para o vice do PSDB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.